A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Janeiro de 2019

24/03/2017 16:29

Única pediatra escalada falta e postos passam a tarde sem especialista

Amanda Bogo
Nayara aguardava atendimento para os filhos (Foto: Amanda Bogo)Nayara aguardava atendimento para os filhos (Foto: Amanda Bogo)

Campo Grande ficou sem atendimento pediátrico, uma das especialidades com maior demanda, na tarde desta sexta-feira (24). Na escala publicada pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), um médico deveria fazer o atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Coronel Antonino, mas alegando estar doente o profissional não foi trabalhar.

Sem ter noção de tamanha deficiência no setor, muita gente procurou atendimento nesta tarde. Somente às 19h começa a outra parte da escala, com previsão de 34 profissionais fazendo o atendimento.

A dona de casa Nayara Helena da Silva Salu, 23 anos, saiu do Jardim Samambaia e enfrentou duas horas de ônibus para chegar a unidade de saúde em busca de atendimento para os filhos de 1, 3 e 6 anos, que estão gripados e com muita tosse.

“Não tenho condições de ficar com ele assim e voltar para casa, vou aguardar o início da próxima escala. É terrível, nós pagamos impostos para nada. A prefeitura deveria dar prioridade para a saúde, porque não é a primeira vez que isso acontece. Para eles, virou rotina”, desabafou.

Essa também não é a primeira vez que a dona de casa Vânia de Souza Costa, 30, vai até a UPA e não consegue atendimento para a filha de 08 anos que está com dor de ouvido. “Andei uma hora a pé para chegar até aqui. É muito difícil essa situação, é um descaso. Deveria ser tomada uma providência o mais rápido possível”, afirmou.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) informou que a profissional teve problemas de saúde e comunicou a secretaria com antecedência sobre a situação. Um outro servidor está sendo procurado para ser remanejado até o local e fazer os atendimentos.

A gerência da unidade informou que a pediatra está de licença médica, apresentada na segunda-feira (20) e com validade até hoje. O aviso de que não haveria atendimento no período da tarde foi repassado para o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) às 10 horas.

Há dois dias, a prefeitura anunciou que passaria a divulgar o nome dos médicos de plantão nas unidades de saúde da cidade, porém o da pediatra não consta na lista de hoje. A Sesau explicou que a relação é atualizada constantemente, por isso logo que foi apresentado o atestado, a médica teve seu nome retirado.

Na noite desta sexta-feira, 34 pediatras estarão atendendo em seis UPAs e quatro CRS (Centro Regional de Saúde), sendo que deste total, seis trabalharão na UPA Coronel Antonino.

Escala de médicos nas unidades de saúde de Campo Grande nesta sexta-feira (Foto: Reprodução/ PMCG)Escala de médicos nas unidades de saúde de Campo Grande nesta sexta-feira (Foto: Reprodução/ PMCG)


É óbvio que uma única médica pediatra escalada para plantão para atender Campo Grande inteira não iria aparecer, só se fosse louca, no lugar dela eu também não iria. As pessoas já estão se achando no direito de atacar os médicos, os funcionários dos postos, partindo inclusive para agressão física, imagina numa situação como essa. Claro que há médicos que deixam muito a desejar, mas a população deve fazer sua parte. Hoje em dia tudo é motivo pra correr com os filhos pra posto de saúde, e a prevenção? Ninguém faz, querem resolver tudo nos postos de emergência. E a pessoa leva 3 filhos ao mesmo tempo? Tá todo mundo doente? Tem alguma coisa errada nessa história. Posto 24 hs é pra urgência, não pra passear quando não se tem o que fazer em casa ou quer fugir do serviço.
 
Mariana Carvalho em 25/03/2017 06:29:54
Com o Uber as atitudes cabíveis foram tomadas rapidamente, pq não aplicam essa vontade de resolver a situação dos taxistas na saúde!!!!
 
Ser em 24/03/2017 17:18:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions