A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

22/12/2010 11:25

Construtora é multada em R$ 1,8 milhão por cobrar assessoria imobiliária

Angela Kempfer

Após denúncias do Campo Grande News, em maio deste ano, o Procon multou em R$ 1,8 milhões a construtora MRV, por não ressarcir consumidores depois de cobrança ilegal.

Mais de 90 processos correm contra a empresa, que foi chamada a assinar um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) em dezembro. Como a construtora não assinou o documento e não ressarciu os consumidores, o Procon decidiu pela multa. Parte deve ser paga pela Fácil Imobiliária, Empresa que integra o grupo e faz a intermediação de vendas dos empreendimentos da MRV.

Além da empresa, a Goldfarb também cobrava dos cliente serviços de corretagem para adquirir um imóvel. Mesmo se não fechassem a compra, os consumidores não tinham esse dinheiro devolvido.

Procon, Ministério Público Estadual e Deco (Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes contra as Relações de Consumo) entraram no caso e conseguiram alterar essa pratica de mercado a partir de setembro.

A MRV acatou o acordo e deixou de fazer a cobrança, mas não devolveu os valores a quem já havia arcado com o serviço, considerado “venda casada”, o que é ilegal.

Segundo o superintendente do Procon, Lamartine Ribeiro, a prática é aceita em outros estados, por isso foi inseria pelas construtoras também em Mato Grosso do Sul, apesar de ser considerada irregular pelo Código do Consumidor.

“Tem de deixar claro, que essas construtoras são grandes, nacionais, não são golpistas. Elas só aplicavam aqui as práticas de mercado que já adotavam. O consumidor não precisa ficar com medo de comprar imóveis”, esclarece.

Depois do TAC, o pagamento dos serviços do corretor será feito pela construtora, ao invés do consumidor. O acordo estabelece que os clientes que tiverem firmado contrato com as construtoras e registraram reclamação junto ao Procon devem ser ressarcidos dos valores cobrados indevidamente.

Em relação a Goldfarb, apenas 28% das reclamações não tiveram solução até agora. “Na maioria dos casos porque o consumidor não tinha razão”, diz Lamartine.

De acordo com ele, caso a MRV resolva assinar o TAC, a multa pode cair bastante e cada processo, ao invés de significar multa de 1 mil Uferms, pode cair para 100 Uferms.

Ainda cabe recurso, mas a assessoria de imprensa da MRV disse que só mais tarde vai haver pronunciamento oficial sobre o assunto.



O problema é que poucas pessoas recorrem ao PROCON e nisso ficam com o prejuízo. O Sr. Sérgio Martins que postou um comentário aqui, pode nos procurar no PROCON para vermos o que está acontecendo e, se for o caso, ressarci-lo do prejuízo.
 
Lamartine Ribeiro em 22/12/2010 05:57:22
Eles não pararam de cobrar essa taxa, agora eles dizem que é pra fazer a pré análise de crédito. Eu comprei um em novembro e teve essa taxa sim, ao contrário que diz a notícia que pararam em setembro.
 
Sérgio Martins em 22/12/2010 01:39:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions