A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/12/2009 09:32

Dias de chuva viram drama no bairro Cidade Morena

Redação

A chuva tem feito moradores das ruas Floreal e Ubirajara Guarani, no bairro Cidade Morena, reviver o drama de ter de enfrentar as vias sem pavimento tomadas por buracos e em alguns casos de ter a casa invadida pela água imunda.

Pelo menos três casas e uma oficina ficaram com a água a uma altura de 60 centímetros do chão. O funcionário da oficina, Rodolfo Castanho, de 20 anos, contou que logo que a chuva começou os móveis foram erguidos, para diminuir o prejuízo. A água invadiu até o escritório e nesta manhã os funcionários limpavam o local.

O problema recorrente gera indignação aos moradores que reclamam de abandono pelo poder público e pelos políticos. Marcos Antônio Braga, de 35 anos, afirmou que a casa de sua mãe, inclusive, serviu de palanque para um deputado estadual, quando candidato que prometeu olhar pelo bairro e livre acesso a ele. "Mas quando chego na Assembléia não consigo falar nem com o assessor dele", diz. "A gente se sente largado aqui, há mais de cinco anos lutando pelo asfalto", diz.

Victor Magnus da Silva, reclama que os vereadores não dão atenção ao problema dos moradores. "Se fosse para colocar nome na rua seria rápido", afirma. Na rua Ubirajara Guarani, toda vez que chove forte são abertas valas e para amenizar o problema os moradores contam que quando avistam caminhões com entulho pedem para que joguem no buraco.

Também com entulhos João Solito, de 72 anos, fez uma barragem em frente à sua casa na rua Floreal e com isso impede a entrada da água quando chove. A idéia veio depois que a casa foi invadida várias vezes pela enxurrada, conta. A esposa dele, Noemil Dutra, de 65 anos, reclama: "para cobrar impostos são bons, mas fazer alguma coisa por nós ninguém faz".

Além da água enlameada, a chuva também leva esgoto para dentro das casas, segundo os moradores. A esperança é que o projeto para pavimentar as vias na região avance para as duas ruas, mas ao mesmo tempo os moradores se preocupam com a taxa que será cobrada.

A chuva de ontem provocou estragos em vários bairros da Capital e um idoso desapareceu no córrego Bálsamo, quando tentava salvar seus animais. Em Coxim, a prefeitura decretou estado de emergência.

Segundo o meteorologista Natálio Abraão, da Uniderp-Anhanguera, a chuva da noite passada foi bastante irregular. Foram 41 milímetros (litros por metro quadrado) nas saídas para Cuiabá e Três Lagoas e nas regiões da saída para Aquidauana e saída para São Paulo 108 milímetros. A chuva começou às 20 horas e cessou às 3 horas. Há previsão de mais pancadas de chuva para a Capital, Coxim, Três Lagoas e Aquidauana, onde o nível do rio está subindo. (Colaborou a repórter Aline dos Santos).

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions