ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 24º

Empregos

Funtrab regulariza 5 mil indígenas de MS para colheita de maçãs no Sul

Maioria dos trabalhadores são de Amambai, Iguatemi, Paranhos, Japorã e Coronel Sapucaia

Por Alison Silva | 11/01/2024 17:39
Indígena colhe maça na região sul do país (Foto: Funtrab/ Divulgação)
Indígena colhe maça na região sul do país (Foto: Funtrab/ Divulgação)

Por meio da Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul), 5 mil indígenas de Mato Grosso do Sul embarcam nesta semana para auxiliar na colheita de maçãs em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. A pasta atua no cadastro, intermediação de mão-de-obra e encaminhamento dos indígenas ao sul do país.

A ação serve para coibir o recrutamento dos indígenas de forma irregular, seja como diaristas ou mesmo para evitar o aliciamento clandestino dos trabalhadores por intermediários ou empreiteiros de mão de obra. A maior parte dos contratados pertencem às aldeias da região do Cone Sul (Amambai, Iguatemi, Paranhos, Japorã e Coronel Sapucaia), e os  salários são a partir de R$ 1,7 mil mais ganho por produtividade.

Os trâmites foram realizados com apoio da Casa do Trabalhador de Iguatemi, cidade do interior do Estado, onde servidores da Funtrab fizeram entrevistas de emprego e cadastraram os indígenas no Sine (Sistema Nacional de Emprego).

Conforme a Funtrab, cerca de 862 indígenas oriundos das aldeias Pirajuí e Potrero Guassu, de Paranhos, permanecerão 60 dias na colheita da maçã, sob monitoramento do MPT-MS (Ministério Público do Trabalho) e pela Coetrae-MS (Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo de Mato Grosso do Sul).

As contratações podem se estender para outras ocupações da atividade, como operadores de máquinas, tratoristas, dentre outras. Até meados de abril, quando acontece a colheita da maçã, estima-se a contratação de aproximadamente 6 mil indígenas de todo o Estado.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.


Nos siga no Google Notícias