A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

24/06/2017 08:30

Garantida pela Justiça, entrega de tipo de insulina está parada há 1 mês

Pelo menos 3 mil doses de insulina lantus deixaram de ser entregues há mais de 1 mês para todo Mato Grosso do Sul.

Anahi Gurgel
Quem vai buscar insulina lantus na Casa da Saúde não encontra medicamento há cerca de 1 mês. (Foto: André Bittar) Quem vai buscar insulina lantus na Casa da Saúde não encontra medicamento há cerca de 1 mês. (Foto: André Bittar)

Pacientes diabéticos não estão encontrando a insulina lantus fornecida pelo Governo do Estado para a Casa da Saúde, localizada em Campo Grande. A distribuição do medicamento é garantida por meio de ação judicial, já que esse tipo de medicamento não consta na relação do SUS (Sistema Ùnico de Saúde).

O Campo Grande News, na tarde desta sexta-feira (23), foi até a farmácia onde a distribuição é feita e confirmou a ausência do medicamento.

Um funcionário disse que cerca de 3 mil doses do medicamento deixaram de ser entregues na Capital e interior há aproximadamente 1 mês. “Muita gente vem aqui e sai de mãos vazias”, disse o servidor, que não quis se identificar.

Esse é o drama vivido pela funcionária pública Valesca Garcia Martinez, 45, que tem uma filha de 17 anos diagnosticada com diabetes tipo I.

“Na Casa da Saúde me informam que a insulina lantus está em falta. Ligo todos os dias para receber notícia, mas ninguém sabe o motivo nem a previsão de quando vai chegar”, conta.

A funcionária pública Valesca Garcia em frente ao seu local de trabalho, no centro. Investiu R$600 em medicamento que ela deveria receber do estado. (Foto: André Bittar)A funcionária pública Valesca Garcia em frente ao seu local de trabalho, no centro. Investiu R$600 em medicamento que ela deveria receber do estado. (Foto: André Bittar)

Com os estoques na farmácia da Casa de Saúde zerados, o jeito foi comprar quatro ampolas, em pagamento consignado.

“O preço de cada ampola é R$ 150 e minha filha usa 6 por mês. É caro, mas eu não tenho opção, porque ele é essencial para o controle da doença, senão minha filha pode entrar em coma e vir a óbito”, teme.

Além de insulina lantus, a filha de Valesca também utiliza o novorapid, fornecido pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) para o CEI (Centro de Especialidade Infantil).

“Esse não é fornecido por decisão judicial, e eu consigo através de um programa municipal voltado para crianças e adolescentes. Mas também está em falta. A ampola custa R$ 70”, lembra.

Porta da farmácia onde medicamentos fornecidos por ação na justiça são fornecidos à população. (Foto: André Bittar)Porta da farmácia onde medicamentos fornecidos por ação na justiça são fornecidos à população. (Foto: André Bittar)

Previsão – De acordo com a SES (Secretaria Estadual de Saúde), o atraso na entrega da insulina lantus ocorreu devido a problemas no trâmite administrativo, sem especificar qual.

“O processo já foi empenhado e enviado para o fornecedor, que deve entregar os medicamentos de dentro de 20 dias”, informou. A SES não confirma o número de doses que deixaram de ser entregues. 

A Sesau informou que o medicamento novorapid e outros tipos de insulina, estavam em falta desde agosto do ano passado.

"Em março deste ano, o município regularizou quase 80% do fornecimento desses medicamentos e como existia demanda muito grande o estoque não foi suficiente para atender o periodo que estava previsto", informou.

A Secretaria já inicou processo para nova aquisição do novorapid e outros medicamentos, que devem ser entregues de 20 a 30 dias. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions