A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Novembro de 2017

09/06/2009 10:47

Imobiliárias esperam grandes negócios durante Feirão

Redação

No dia 18 de junho, a Caixa Econômica federal abre mais uma feira de imóveis com valores que vão de R$ 40 mil a R$ 1 milhão, com opções ainda na planta.

Em uma simulação feita para o 5º Feirão da Caixa, o comprador com renda familiar de cerca de R$ 1.800 por mês tem condições de comprar uma casa, ou apartamento, de até R$ 40 mil, sendo que a primeira prestação será de R$ 284 e a última, depois de 15 anos, será de R$ 134, sem saldo residual.

A vantagem da parcela decrescente é aposta para acabar de vez com o "medo" que se criou diante de tantos relatos de mutuários que ao longo dos anos tiveram prestações astronomicamente reajustadas pela Caixa Econômica Federal.

Entre as novidades que devem fazer a diferença, na avaliação da CEF, está o financiamento de até 100% dos imóveis novos. Além disso, os juros também são menores para quem tem saldo de FGTS.

Com o desconto, as taxas anuais dos cotistas do FGTS passarão a ser de 4,5% (renda de R$ 1.395 a R$ 2.325); 5,5% (R$ 2.325 a R$ 2.790) e 7,66% (R$ 2.790 a R$ 4.650).

O índice de 8,2% ao ano vale para os financiamentos concedidos de acordo como SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). Essas duas modalidades reduziram o valor das prestações em até 10%, garante a Caixa.

Em todos os casos, a correção será pela Taxa Referencial (TR). Na prática, a redução poderá chegar a R$ 43 por mês, ou R$ 520 por ano, no financiamento de um imóvel R$ 130 mil, para quem tem renda de R$ 4.650.

Novinhos - Segundo o presidente do Secovi/MS (Sindicato da Habitação), Marcos Augusto Neto, serão oferecidos 1.551 unidades habitacionais ainda na planta. "Na edição passada, faltou imóvel. A documentação de muitos ainda não estava em dia", explica.

"Hoje, tudo mudou. As pessoas estão dispostas à compra e perderam o medo de fazer um empréstimo", ressalta.

O fim do medo de um financiamento também foi destacado pelo superintendente regional da Caixa, Paulo Antunes de Siqueira. Ele lembrou que as pessoas que fizeram empréstimo no sistema antigo se decepcionaram, pois no fim dos planos, os mutuários ainda tinham de pagar o saldo residual.

"Hoje não existe isso. A pessoa começa pagando um valor e a última prestação vai ser mais barata do que a primeira", frisa.

Expectativa - Com dinheiro e imóveis, a expectativa das imobiliárias é de que o 5º Feirão da Caixa e a VI Feira de Imóveis sejam bem melhor do que a última edição, em 2007. São R$ 500 milhões disponibilizados para compra de mais de três mil imóveis.

O presidente do Secovi ainda justifica a euforia do momento pelo volume de dinheiro que está à disposição para financiar a casa própria. "Há três anos nenhuma imobiliária queria fazer negócio com a Caixa, isso porque ela não tinha dinheiro. Hoje, isso acabou".

Romeu Paulo Vidal Castilho, empresário do ramo de imobiliárias, afirma que há tudo para que o Feirão seja um sucesso. "Tem dinheiro e mercadoria". Ele lembra que a falta de imóveis prontos faz com que os clientes comprem os seus bens ainda na planta. "Mesmo que eles queiram entrar na casa já no outro dia".

Para fechar negócio

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions