ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  22    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Advogado desacata delegado após "limpa" no Instagram de falso veterinário preso

Fotos seriam utilizadas na investigação que levou à prisão de Lucas Thiago de Lima Kusano, de 34 anos

Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 02/02/2022 21:54
Polícia suspeita que advogado tenha excluído as fotos em que lucas aparecia com jaleco de veterinário. (Foto: Reprodução Instagram)
Polícia suspeita que advogado tenha excluído as fotos em que lucas aparecia com jaleco de veterinário. (Foto: Reprodução Instagram)

O advogado do falso médico-veterinário Lucas Thiago de Lima Kusano, de 34 anos, preso nesta quarta-feira (02), em Dourados, foi autuado por desacato ao delegado responsável pela prisão. Depois de supostamente acessar o Instagram de Lucas e excluir uma foto que era crucial para a investigação, o advogado Rafael Bulgakov Klock Rodrigues, de 25 anos, se exaltou, tentou gravar a atuação do delegado Erasmo Cubas, titular do SIG (Setor de Investigações Gerais) e debochou do trabalho dos investigadores da 1ª DP (Delegacia de Polícia Civil) de Dourados. Rafael teve seu aparelho celular e notebook apreendidos e também vai responder judicialmente pelo crime de fraude processual.

Conforme apurado pela reportagem, enquanto falava com Lucas em uma sela reservada o advogado foi flagrado pelos policiais utilizando um iPad para acessar uma página na internet. Em seguida, ao também acessarem o perfil do falso veterinário no Instagram, os investigadores não encontraram as fotos em que o Lucas aparece vestido como médico veterinário. Em uma das imagens, que, inclusive, consta no relatório do Conselho de Medicina Veterinária que realizou a denúncia, o rapaz aparece de jaleco. Antes da prisão, os investigadores já haviam confirmado que as fotos permaneciam na página, no entanto, após o contato do advogado com o cliente na delegacia, as fotos foram excluídas da página.

O delegado Erasmo Cubas então advertiu o advogado de que ele responderia, em tese, pelo crime de fraude processual, pois havia suspeitas de que ele teria acessado a conta de Instagram de Lucas e apagado o conteúdo de interesse da investigação. Rafael então se descontrolou, jogou a sua mochila na cadeira da sala do delegado, tirou seu celular e começou a gravar um vídeo, dizendo que seus "direitos estavam sendo cerceados", aumentando o tom de voz e exigindo que o delegado falasse o seu nome.

Em seguida, Cubas ainda avisou o advogado que o seu celular e computador seriam apreendidos, pois "poderiam ter sido utilizados para prática do crime". Após a apreensão dos objetos, na frente de dois investigadores, Rafael disse ao delegado: "Com o seu comportamento você deve ter problema com advogado todos os dias, eu não devo ser o primeiro e nem vou ser o último, não respeita direito de ninguém", consta no boletim de ocorrência sobre o caso. Ainda conforme o registro, Rafael se dirigiu aos policiais em tom de deboche, dizendo que eles podiam "rir", além de "baterem palmas".

Diante da situação, o advogado também solicitou a presença de representantes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) no local. Dois profissionais estiveram na delegacia e acompanharam todo o procedimento de autuação do colega. Celular e notebook do advogado continuam sob a guarda da Polícia Civil, já Rafael foi liberado após assinar termo de comparecimento na delegacia, no decorrer da apuração do caso.

Falso médico - Lucas Thiago de Lima Kusano estava na mira do CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) desde 2014. Ele foi flagrado durante atendimento em um sítio localizado na Linha do Barreirinho, entre os municípios de Dourados e Fátima do Sul. Lucas fazia procedimento de toque retal em um equino, quando fiscais do conselho e policiais civis chegaram à propriedade.

O falso veterinário foi encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia Civil para ser autuado por falsidade ideológica e por exercício ilegal de profissão. Com ele, foi encontrado documento de CRMV com seu nome, mas com número que pertence a outro profissional.

Nos siga no Google Notícias