ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  22    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Após duas semanas, Senad e PF iniciam nova ofensiva contra roças de maconha

A 45ª edição da Operação Nova Aliança começou nesta quinta-feira na linha internacional com MS

Por Helio de Freitas, de Dourados | 20/06/2024 14:39
Acampamento narco usado para processar maconha é queimado na fronteira (Foto: Divulgação)
Acampamento narco usado para processar maconha é queimado na fronteira (Foto: Divulgação)

A Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai e a Polícia Federal brasileira iniciaram nesta quinta-feira (20) a 45ª edição da Operação Nova Aliança, para eliminar roças de maconha na linha internacional com Mato Grosso do Sul.

Ao mesmo tempo em que os traficantes intensificam o cultivo e remessa de cargas da droga para o mercado brasileiro, as duas corporações apertam o cerco para destruir roças e acampamentos e causar prejuízo financeiro às facções presentes na fronteira.

Essa nova fase ocorre duas semanas após o encerramento da 44ª edição, que destruiu o equivalente a 820 toneladas entre plantas em fase de colheita e droga já processada e embalada.

Com apoio de helicópteros da PF e das Forças Armadas do Paraguai, equipes de solo percorrem áreas de cultivo no departamento (equivalente a estado) de Amambay, cuja capital é Pedro Juan Caballero.

Segundo a Senad, o trabalho para destruir as roças de maconha e acampamentos montados pelos traficantes deve durar pelo menos dez dias. Localizadas em regiões de mata e morros, as lavouras são identificadas através de monitoramento permanente da agência antidrogas.

Nas primeiras investidas desta operação na região denominada Cerro Kuatiá, foram desmantelados 18 acampamentos e destruídos 37 hectares em fase de desenvolvimento. Cada hectare produz em média três toneladas de maconha pronta para o consumo.

Conforme a Senad, a maconha é o principal meio de financiamento das organizações criminosas fronteiriças. De Amambay, a produção é enviada ao mercado brasileiro através de redes de distribuição controladas pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) e Comando Vermelho.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias