A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

11/05/2016 12:54

Duas mulheres morreram de gripe em Naviraí, informa gerente de Saúde

Em entrevista coletiva hoje de manhã, secretária informou que pacientes tinham 59 e 66 anos e nenhuma tinha tomado vacina

Helio de Freitas, de Dourados
Gerente de Saúde (centro) durante entrevista coletiva, hoje em Naviraí (Foto: Divulgação)Gerente de Saúde (centro) durante entrevista coletiva, hoje em Naviraí (Foto: Divulgação)

A Gerência de Saúde de Naviraí, cidade a 366 km de Campo Grande, confirmou hoje (11) mais uma morte por gripe transmitida pelo vírus H1N1. É o segundo óbito confirmado no município nesta semana em decorrência da doença, que eleva para dez o total de mortes por gripe em Mato Grosso do Sul neste ano.

A primeira morte por gripe na cidade do cone sul tinha sido confirmada na segunda-feira à noite em nota técnica divulgada pela gerente municipal de Saúde, Anelize Coelho. Hoje de manhã, em entrevista coletiva, ela confirmou que duas mulheres – uma de 59 anos e outra de 66 – morreram em decorrência da gripe em Naviraí.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica Daniela Queiroz e a diretora do hospital municipal, Claudia Gomes, também participaram da entrevista.

De acordo com a gerente de Saúde, a prefeitura intensificou as ações de prevenção do vírus influenza. Ela também alertou a população sobre os cuidados que precisam ser tomados para prevenir contágio pelo vírus.

“Pessoas idosas têm que tomar a vacina, pois a imunidade é mais baixa. Das pacientes que vieram a óbito, nenhuma havia tomado a vacina”, afirmou Anelize Coelho.

Segundo ela, na última semana a saúde pública de Naviraí notificou cinco casos de H1N1. Dois casos foram confirmados com a morte das pacientes, um foi descartado e dois aguardam resultados de exames.

Anelize explicou que a principal medida, tanto por parte de adultos quanto de crianças, é sempre lavar as mãos. “Se a pessoa tossir ou espirrar sempre deve cobrir com o braço para evitar expelir aquelas gotículas. E sempre que tossir e espirrar ir ao banheiro lavar as mãos”, explicou ela.

A gerente de Saúde desmentiu boatos sobre uma epidemia do vírus na cidade. Segundo ela, medidas preventivas-padrão já estão sendo adotadas no hospital da cidade. Todos os profissionais estão utilizando equipamentos de proteção individual, como máscaras, toucas, luvas e avental descartável. A equipe também é orientada a fazer a higienização das mãos com água e sabão.

Segundo ela, as medidas adotadas são para prevenir que pacientes atendidos no hospital transmitam o vírus dentro da unidade. “O vírus não esta no hospital, mas fora”, afirmou a gerente.

Daniela Queiroz informou que a maior gravidade da infecção pelo vírus influenza são as complicações como pneumonia e dificuldades respiratórias que podem levar à internação e até mesmo ao óbito.

“As pessoas contaminadas sempre têm febre forte e devem procurar atendimento médico porque após a infecção o vírus se espalha rapidamente no organismo”, afirmou Daniela Queiroz.

Visitas suspensas - A diretora do hospital de Naviraí, Claudia Gomes, afirmou que visitas a pacientes internados na unidade estão suspensas por dez dias. Também não será mais permitida troca de acompanhantes de pacientes.

“Com isso evitaremos uma maior circulação de pessoas dentro do hospital. Além disso, está proibido levar objetos pessoais, como travesseiro, coberta, pratos e talheres. O material utilizado será o existente no hospital”, informou a diretora.

Vacina - A gerência de Saúde do município informou que a vacinação contra o H1N1 está liberada a partir desta quarta-feira, mas destinada aos grupos prioritários - crianças de 6 meses a 5 anos, gestantes, idosos, profissionais da saúde, povos indígenas e pessoas portadoras de doenças crônicas e outras doenças que comprometam a imunidade.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions