ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Enquanto Brasil afrouxa medidas, Paraguai isola fronteira com arame farpado

Em ação nunca vista na história, postes para sustentar cercado estão sendo instalados entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã

Por Helio de Freitas, de Dourados | 26/03/2020 12:03
Soldados paraguaios fazem cerca com arame farpado para separar Pedro Juan Caballero de Ponta Porã (Foto: Luiz Carlos Gonzalez/Repórter MS)
Soldados paraguaios fazem cerca com arame farpado para separar Pedro Juan Caballero de Ponta Porã (Foto: Luiz Carlos Gonzalez/Repórter MS)

Cerca de arame farpado sustentada por postes de aroeira, como existe em sítios e fazendas em todos os cantos do Brasil, está sendo construída desde ontem (25) por soldados paraguaios na fronteira com Mato Grosso do Sul. O cercado terá pelo menos oito quilômetros, no trecho que vai do Cassino Amambay até o Shopping China, passando pela área central das cidades-gêmeas Pedro Juan Caballero (Paraguai) e Ponta Porã (MS). Uma máquina está sendo usada remover a terra e facilitar a instalação dos postes, como mostra o vídeo abaixo.

A ação, determinada pelo governo paraguaio como parte das medidas para conter a proliferação do novo coronavírus, é histórica. Moradores das duas cidades ouvidos pelo Campo Grande News afirmam que não há registro de fechamento da fronteira entre as duas cidades. Segundo um deles, na época do contrabando de café as autoridades abriam valetas para impedir a passagem dos contrabandistas, mas logo as os buracos eram fechados com terra.

A construção da cerca de arame farpado assusta que mora nas duas cidades. Cidadãos da fronteira estão acostumados a cruzar de um lado para o outro para trabalhar, estudar, fazer compras, passear. Naquele trecho da Linha Internacional onde a fronteira só existe no mapa, brasileiro casa com paraguaia, paraguaio casa com brasileira e todos vivem em comunidade como se fosse uma única cidade.

A pandemia do coronavírus mudou essa realidade. Com 41 casos confirmados e três mortes por Covid-19, o Paraguai adotou quarentena total até domingo (29) e fechou fronteiras, portos e aeroportos até para cidadãos paraguaios.

O endurecimento das medidas por parte do governo paraguaio contrasta com o afrouxamento das ações do lado brasileiro. Depois de manter livre o acesso em cidades-gêmeas no decreto que fechou as fronteiras brasileiras, ontem o presidente Jair Bolsonaro assinou decreto liberando a abertura de lotéricas e permitindo cultos e missas nas igrejas.

Ponta Porã tem um dos 24 casos do novo coronavírus confirmados até ontem em Mato Grosso do Sul. O homem de 27 anos viajou para Roma, na Itália, e fez conexão de voo no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. O caso foi confirmado no sábado (21).