ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Ex-namorada de jogador morto e esquartejado tem 1º habeas corpus negado

Prisão temporária de Rubia Joice de Oliver Luivisetto, de 21 anos, vai até dia 4 de agosto

Lucia Morel | 23/07/2023 19:16
Rubia e Hugo, em fotos de redes sociais. (Foto: Montagem)
Rubia e Hugo, em fotos de redes sociais. (Foto: Montagem)

Rubia Joice de Oliver Luivisetto, de 21, presa acusada da morte do ex-namorado, o jogador de futebol Hugo Vinícius Skulny Pedrosa, 19, teve um habeas corpus negado e levado à segunda instância em 14 de julho, o pedido da defesa ainda não foi analisado pela Justiça. A prisão temporária dela vence em 4 de agosto, 30 dias após a audiência de custódia.

No pedido de relaxamento de prisão, o advogado dela, Felipe Kazuo Azuma, alega constrangimento ilegal, que a jovem compareceu espontaneamente para prestar esclarecimentos à polícia e que está colaborando. “Foi somente após o depoimento de Cleiton (trazido à investigação por Rubia) que se teve ciência de onde o corpo havia sido ocultado”, cita a defesa.

“Isso porque Cleiton foi até o local com Danilo. Evidente que se a Paciente soubesse o local teria falado, porém como não participou do ato da ocultação, não poderia revelar nada”, defende Azuma, citando outros dois investigados pelo crime, mas que ainda não foram presos.

O advogado ainda enumera que “Danilo, autor do disparo, está foragido; Cleiton, que foi obrigado por Danilo a ajudar a ocultar o corpo, está solto; Rubia, que foi ameaçada por Danilo para não revelar a verdade e foi quem trouxe à tona a participação de todos, está presa”.

Para o Ministério Público, que faz a acusação, entretanto, “infere-se que a Prisão Temporária da Paciente foi decretada em consonância com os requisitos autorizadores, devidamente fundamentada, valendo-se dos indícios suficientes de autoria e materialidade delitiva para decretar a medida constritiva, necessárias para as investigações policiais”.

Também foi citado que Rubia teria pedido a Cleiton que não falasse nada para ninguém sobre o assassinato e, além disso, teria dificultado as investigações policiais ao apresentar diferentes versões quando ouvida em depoimento. O habeas corpus será julgado no próximo dia 25 de julho, em julgamento presencial.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias