A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

30/12/2015 12:46

Funcionários não aceitam proposta de hospital e mantêm greve

Mariana Rodrigues
Funcionários do Hospital cobram pagamento da segunda parcela do 13° salário. (Foto: Divulgação)Funcionários do Hospital cobram pagamento da segunda parcela do 13° salário. (Foto: Divulgação)

Funcionários do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande, decidiram não acatar a proposta feita por representantes da unidade de saúde durante assembleia, e mantêm a greve por tempo indeterminado. Segundo a assessoria do Sinees (Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde) a proposta é que os trabalhadores aguardassem até o dia 8 de janeiro para receber a segunda parcela do 13° salário que está em atraso.

A assembleia foi feita ontem (29) e reuniu além do Sinees, o Seta (Sindicato dos Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares) e responsáveis do Hospital Auxiliadora. Durante o encontro, os representantes da empresa solicitaram que o presidente dos sindicatos levasse à categoria a proposta de sessar a greve, aguardando até o dia 8 de janeiro de 2016, quando o Hospital teria uma resposta concreta sobre o pagamento da segunda parcela do 13° salário.

Porém, a proposta foi recusada e a greve será mantida até que o pagamento do benefício seja feito aos funcionários. A primeira parcela já havia sido paga com atraso, sendo que em nota divulgada no último dia 28, o próprio hospital esclarece que a primeira parcela foi paga no dia 17 de dezembro.

Conforme a assessoria do sindicato, o Hospital alega que não tem dinheiro para pagar os funcionários e não há de onde tirar a quantia, já que outros empréstimos foram feitos pelo hospital. De acordo com o portal de notícias Jornal do Povo, o Hospital possui uma dívida de R$ 7 milhões, com um déficit mensal de aproximadamente R$ 800 mil, e sem dinheiro para pagar a segunda parcela dos 550 funcionários, que totalizam um montante de R$ 500 mil.

De acordo com o diretor administrativo do Hospital Auxiliadora, Eduardo Otoni, a primeira parcela do 13º salário foi paga, mas o hospital não dispõe de recursos para pagar a segunda. Otoni informou que, no começo de janeiro, a direção deve se reunir com os representantes da prefeitura e do sindicato que representa a categoria para buscar uma solução para a falta do pagamento.

Segundo a nota enviada hoje (30), pelo sindicato, o Sinees e o Seta, esclarecem que "os empregados nada tem a ver com a dificuldade financeira que o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora sofre. Toda e qualquer empresa que se propõe a contratar no regime de CLT deve arcar com seus compromissos. Ainda em tempo, lamentamos que um século de Hospital Auxiliadora seja maculado pelo não cumprimento dos direitos trabalhistas".

Passeata - Ontem, os funcionários que aderiram a greve fizeram uma passeata pelas ruas da região central de Três Lagoas. A passeata contou com a presença da Polícia Militar e agentes do Departamento de Trânsito que controlaram o tráfego.

Greve - Cerca de 5% dos funcionários aderiram a greve no último dia 28, devido a falta do pagamento da segunda parcela do abono natalino. Participam da greve enfermeiros, auxiliares de enfermagem, funcionários da lavanderia, do refeitório, entre outras funções.

Segundo o presidente do Sinees (Sindicato dos Empregados da Saúde), João Carvalho, o hospital alega que não existe a possibilidade de pagar integralmente o valor, que se refere, na verdade, à segunda parcela do abono salarial.

Passo do Piraju deve receber posto de saúde e energia, determina Justiça
O MPF-MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul) conseguiu na Justiça que a União fosse condenada a construir um posto de saúde e instalar...
Dourados abre período de pré-matrículas em escolas e creches municipais
Foi aberto nesta segunda-feira (11) o período de inscrições para matrícula (a pré-matrícula) nas unidades escolares e Centros de Educação Infantil de...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions