ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 13º

Interior

Homem é indiciado por homicídio pela morte de deficiente físico

Crime aconteceu na noite do dia 10 do mês passado, em frente a um mercado na Rua Carajás

Por Viviane Oliveira | 27/06/2022 12:11


Ogenildo Ferreira da Silva, de 50 anos, conhecido por “Neguinho”, foi indiciado por homicídio qualificado pela morte de Adilson Manoel Pinto, de 42 anos, conhecido como “Pelicano”, assassinado com pelo menos 12 facadas.

O caso aconteceu na noite do dia 10 do mês passado, em frente a um mercado na Rua Carajás, em Naviraí, distante 359 quilômetros de Campo Grande.

Após o crime, Ogenildo fugiu do local para evitar a prisão em flagrante e, posteriormente, se apresentou à autoridade policial para contar sua versão do fato. Na ocasião, ele alegou legítima defesa porque a vítima teria o ameaçado e fez menção de pegar algo junto à cintura, momento em que Adilson o atacou com a faca que portava.

Adilson Manoel Pinto, 42 anos, foi morto com 12 facadas (Foto: reprodução / Tá Na Mídia Naviraí)) 
Adilson Manoel Pinto, 42 anos, foi morto com 12 facadas (Foto: reprodução / Tá Na Mídia Naviraí))

Para a Polícia Civil a versão da legítima defesa do autor não encontra sustentação. Imagens de câmera de monitoramento instalada no local do fato não constataram a suposta ação da vítima narrada pelo autor. Veja, acima, o vídeo.

Embora o fato, inicialmente, tenha sido registrado como homicídio simples, a Polícia Civil concluiu que o homicídio foi qualificado por motivo fútil e meio cruel.

Com relação à qualificadora do motivo fútil, a conclusão foi a de que, a suposta injúria praticada pela vítima contra o autor seguida de breve discussão entre eles, não seria motivo que justificasse as doze facadas contra Adilson, especialmente, em locais vitais.

Quanto à qualificadora do meio cruel, justifica-se pela multiplicidade de golpes que foram aplicados contra a vítima, que, certamente, lhe causaram sofrimento intenso. Adilson era deficiente físico.

Nos siga no Google Notícias