ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Para frear incêndio, bombeiros abrem “trilha” na vegetação seca do Pantanal

O combate ao fogo na região dura dias e em apenas 24 horas o fogo consumiu 33,33 km de vegetação

Por Geisy Garnes | 18/09/2021 09:11

Os combates aos incêndios florestais no Pantanal de Corumbá – cidade a 446 quilômetros de Campo Grande – continuam neste sábado (18) e para tentar frear o fogo que consome a vegetação na região do Jatobazinho, militares do Corpo de Bombeiros uniram esforços na construção de um aceiro, uma espécie de trilha dividindo a mata para impedir a propagação das chamas.

O combate ao fogo na região dura dias e em apenas 24 horas o fogo consumiu 33,33 km de vegetação. Na tarde de ontem, novos focos foram identificados, um deles em mata fechada na região da fazenda Laranjinha. Por isso, as equipes reforçaram os trabalhos na área.

Com o aceiro, os militares esperaram impedir que as chamas continuem se espalhando das áreas de mato seco, que se tornam combustível para os incêndios.

Outras quatro áreas da região são monitoradas pelos militares. Um dos piores pontos está na fazenda Pensamento. Desde ontem, os militares ganharam reforço da aeronave de asa fixa BM03 para combater os focos que ainda persiste. Área queimada nas últimas 24h chega a 56,60 km².

As chamas no morro do Urucum também persistem. Na região, o fogo se concentra na mineradora Vetorial, onde já a queima das vegetações empilhadas por conta dos aceiros emergenciais feitos para conter os focos passassem para a empresa. Como todo o entorno já está queimado, não há risco de as chamas expandirem. Na Fazenda Saran o incêndio já foi controlado e é apenas monitorado.

Equipes também realizam combate aos focos da fazenda Bonsucesso, na região do Paiaguás. No local a área queimada é de aproximadamente 3,46 km² nas últimas 24 horas. A força-tarefa montada para impedir a destruição da vegetação do Pantanal recebeu nesta sexta-feira (17) 32 novos militares e ainda conta com apoio de aeronaves para deslocamento aos pontos de difícil acesso.

Corumbá já registrou 578 focos de incêndio nos 17 dias de setembro, uma média de 34 queimadas por dia, e é líder em queimadas no Estado. Somente no último dia foram 60 focos contabilizados, conforme os dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário