ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Polícia faz reconstituição do assassinato de jogador na casa de ex-namorada

Versões dadas por ex-namorada e amigo dela à Polícia Civil devem ser simuladas

Anahi Zurutuza e Salatiel Assis, de Sete Quedas | 05/07/2023 11:21
Policiais civis e agentes da Polícia Cietífica no local onde Hugo Vinícius foi assassinado, a casa da ex-namorada (Foto: Salatiel Assis)
Policiais civis e agentes da Polícia Cietífica no local onde Hugo Vinícius foi assassinado, a casa da ex-namorada (Foto: Salatiel Assis)

A Polícia Civil trabalha, nesta quarta-feira (5), em reconstituições do crime contra o jogador de futebol Hugo Vinícius Skulny Pedrosa, 19. Nesta manhã, as cenas descritas pela ex-namorada da vítima Rubia Joice de Oliver Luivisetto, 21, e também por um amigo dela, conhecido como “Maninho”, ouvido como testemunha, serão simuladas na casa da jovem, na região central de Sete Quedas – cidade a 471 km de Campo Grande.

A moça está presa desde segunda-feira (3), quando se apresentou acompanhada de advogados na Delegacia de Polícia de Tacuru. Ontem (4), foi interrogada em Sete Quedas. A polícia trabalha com a hipótese de Rubia estar envolvida em plano para matar o jogador, mas ela nega ser a mandante do crime, ter armado para Hugo ter ido até a casa dela e também ter ajudado a “dar fim” ao corpo do rapaz.

Ainda hoje, policiais devem ir à propriedade rural à beira do Rio Iguatemi, onde o corpo do atleta foi jogado. A suspeita da investigação é que o cadáver tenha sido esquartejado no local.

A casa de Rubia está sendo isolada para a reprodução simulada. Além da Polícia Civil, peritos trabalham no local.

Casal em foto publicada por Rubia no Instagram (Foto: Reprodução)
Casal em foto publicada por Rubia no Instagram (Foto: Reprodução)

Versões – No segundo depoimento, a ex-namorada do jogador contou à polícia que estava em casa com Danilo Alves Vieira da Silva, 19, quando Hugo teria invadido a residência e entrado no quarto dela, a xingando de vagabunda. Houve discussão e ela se levantou para empurrá-lo para fora de casa, quando de repente, pelas suas costas, Danilo atirou contra Hugo.

Ela diz que o “ficante” mandou que todo mundo ficasse quieto ou todos morreriam e que, então, ele e o amigo dela, que também estava no local, colocaram o corpo no carro de Rubia para se livrarem dele. Disse que não sabia o que havia sido feito do cadáver, muito menos do esquartejamento.

Já na versão de Maninho, ele estava dormindo quando ouviu discussão entre Danilo e Hugo e, logo em seguida, barulho de tiro. Ao sair para ver o que estava acontecendo, encontrou o jogador caído no chão, ainda respirando, e então perguntou a Rubia e ao “ficante” dela o que eles haviam feito.

Neste momento, a garota teria dito que ele não devia falar com ninguém e só fazer o que Danilo mandasse. O corpo de Hugo estava caído na porta da casa.

Ainda de acordo com Maninho, Hugo ainda respirava quando Danilo decidiu colocá-lo no carro de Rubia e levar para o rio. Ele afirma que foi ameaçado pelo autor que estava armado e o ajudou a pegar a vítima pelas pernas e colocar no veículo da jovem.

Os dois seguiram até a propriedade rural, que seria do pai de Danilo e lá, o autor deu mais dois tiros na testa de Hugo. Em seguida, jogaram o corpo inteiro no rio. Maninho afirma que viu o cadáver da vítima desaparecer nas águas e que ele não estava esquartejado.

Hugo Vinícius Skulny Pedrosa foi morto aos 19 anos. (Foto: Reprodução do Instragram)
Hugo Vinícius Skulny Pedrosa foi morto aos 19 anos. (Foto: Reprodução do Instragram)

O crime – Conforme a investigação, na madrugada do dia 25 de junho, o jogador de futebol saiu da festa em Pindoty Porã, no Paraguai, que faz fronteira com Sete Quedas - cidade a 471 km de Campo Grande, no sul do Estado. Ele foi deixado por amigos na casa da ex-namorada e desde então, não havia mais sido visto.

No domingo, 2 de julho, partes do corpo de Hugo começaram a ser encontradas no Rio Iguatemi. Uma tatuagem ajudou na identificação da vítima.

Durante as diligências, a polícia apreendeu quatro veículos, entre carros e um barco, vários celulares e instrumentos que podem ter sido utilizados no crime. Tudo está sendo periciado e partes do corpo da vítima ainda estão sendo procuradas.

Ainda segundo a polícia, o jogador foi morto com três tiros, pelo menos um deles na cabeça, e esquartejado com uma serra elétrica.

Nos siga no Google Notícias