A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

06/12/2018 10:48

Presos por corrupção, três vereadores são levados para penitenciária

Idenor Machado, Pedro Pepa e Pastor Cirilo Ramão foram levados em duas viaturas da Polícia Civil; ex-vereador e ex-servidor da Câmara também foram transferidos para a PED

Helio de Freitas, de Dourados
Policial conduz vereadores para viatura que os levou à penitenciária de Dourados (Foto: Osvaldo Duarte/Dourados News)Policial conduz vereadores para viatura que os levou à penitenciária de Dourados (Foto: Osvaldo Duarte/Dourados News)

Os vereadores Pedro Pepa (DEM), Pastor Cirilo Ramão (MDB) e Idenor Machado (PSDB), presos ontem (5) na Operação Cifra Negra do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, foram transferidos há pouco para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

Duas viaturas da Polícia Civil deixaram a 1ª Delegacia de Polícia, onde os vereadores acusados de corrupção passaram a noite. Também foram levados para a penitenciária o ex-funcionário da Câmara Amilton Salina e o ex-vereador Dirceu Longhi (PT), primeiro-secretário no período em que Idenor presidiu o Legislativo.

Antes de serem transferidos para a PED, os cinco acusados passaram por exame de corpo de delito. O médico legista foi até a carceragem da delegacia para fazer os exames. Eles são acusados de receber propina de empresas contratadas para prestar serviço ao Legislativo.

Os vereadores, o ex-vereador e o ex-servidor da Câmara foram recolhidos por força de mandado de prisão preventiva expedido pelo juiz da 1ª Vara Criminal Luiz Alberto de Moura Filho. Quando a prisão é preventiva não existe prazo determinado e o acusado só sai da cadeia se conseguir um habeas corpus.

Propina – A Operação Cifra Negra desencadeada ontem pelo Ministério Público e Polícia Civil investiga fraude em licitação e pagamento de propinas a servidores públicos e membros da mesa diretora da Câmara. Cinco pessoas foram presas em Campo Grande, mas ainda não há informação sobre a identidade delas.

Segundo o Ministério Público de Mato Grosso do Sul, a ação de ontem é desdobramento das operações Telhado de Vidro e Argonautas, que investigaram crimes de fraude em licitação e corrupção ativa na Câmara de Dourados em 2013 e 2014.

A investigação aponta que as mesmas empresas se apresentavam em concorrências e agiam em conjunto. Algumas delas só existiam no papel. O objetivo era simular uma disputa de propostas. “Sem a devida a concorrência, os valores dos contratos oriundos destes processos se faziam exorbitantes”, diz o MP.

Eleição – Pedro Pepa é candidato a presidente da Câmara na eleição marcada para esta sexta-feira (7) às 14h. Cirilo Ramão é candidato a segundo-secretário na mesma chapa. Nesta manhã, a presidente da Casa Daniela Hall (PSD) informou que a eleição está mantida, mesmo com dois candidatos presos.

Com as prisões de ontem, quatro dos 19 vereadores de Dourados estão atrás das grades. A ex-secretária de Educação e vereadora Denize Portolann (PR) está presa desde 31 de outubro deste ano, acusada de integrar esquema de corrupção envolvendo licitações na prefeitura.

Denize foi presa na Operação Pregão e atualmente está recolhida em uma cela do presídio feminino de Rio Brilhante.

Também foram presos com ela o então secretário de Fazenda João Fava Neto, o então diretor de licitação Anilton Garcia de Souza e o empresário Messias José da Silva, prestador de serviço de limpeza para a prefeitura.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions