ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Na fronteira, Saúde tem 62 afastados e prefeito alerta: “a equipe sofre muito”

Boa parte dos contaminados é funcionário do Hospital Regional da cidade

Por Aline dos Santos | 06/08/2020 12:55
Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, localizado em Ponta Porã. (Foto: Divulgação)
Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, localizado em Ponta Porã. (Foto: Divulgação)

O prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo (PSDB), afirmou que 62 funcionários da Saúde da cidade, localizada na fronteira com o Paraguai, estão afastados devido ao novo coronavírus. Ele fala em 31 servidores do Hospital Regional.

“Trinta e um funcionários do hospital estão afastados. Sessenta e dois funcionários da Saúde estão afastados. Isso obriga a gente a chamar mais 62 para trabalhar. A equipe está sofrendo muito, a gente não consegue cobrir a cidade”, disse o prefeito durante entrevista coletiva, realizada ontem (dia 5).

Na ocasião, o prefeito destacou que o novo coronavírus já chegou a todos os bairros da cidade e também na área rural do município. Peluffo alertou que é preciso seguir os protocolos de biossegurança para evitar medidas mais duras contra o comércio.

Secretário municipal de Saúde, Patrick Derzi alertou que parte da população acha que o coronavírus é brincadeira ou questão política. “Só quem está na linha de frente, quem vive isso no dia a dia sabe como é grave”, diz.

De acordo com o secretário, foram ampliados os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), destino dos pacientes graves, mas que os novos 20 leitos atendem região com 34 municípios. “Ainda pode ser insuficiente. Os nossos funcionários estão ficando doentes”. Ponta Porã registra 313 casos e dez mortes pela doença.

Outro cenário - Por meio da assessoria de imprensa, o Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, de Ponta Porã, e Secretaria Estadual de Saúde, informaram número diferente. A unidade registrou 26 funcionários que testaram positivo para o novo coronavírus desde o início da pandemia e todos, já estão recuperados. Nesta quinta-feira (06), a unidade possui 2 trabalhadores afastados por causa da covid-19, cumprindo isolamento domiciliar, e mais um caso suspeito que também não está trabalhando enquanto aguarda confirmação por exame.

O hospital informou ainda que possui  estratégia para cobrir as faltas e atestados com profissionais extras que não apresentaram sintomas até o momento. "A direção ressalta que está seguindo todas as medidas e protocolos de segurança para prevenir a contaminação de colaboradores e pacientes. Os funcionários que foram positivados só retornam às atividades após a realização do exame IGG e IGM e avaliação do médico", informou em nota.