A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

01/10/2019 20:57

Trio é condenado a 20 anos de prisão por envolvimento em execução de jovem

Adriano Fernandes
Soderana durante o julgamento desta noite. (Foto: Luis Gustavo/Jornal da Nova) "Soderana" durante o julgamento desta noite. (Foto: Luis Gustavo/Jornal da Nova)

Após 18 horas de julgamento três dos sete envolvidos na execução de Ronaldo da Silva Lopes, de 20 anos, foram condenados nesta terça-feira (1º) em Nova Andradina, cidade a 300 quilômetros de Campo Grande. As penas chegam a 20 anos se somados os períodos de prisões dos três réus. Maxilaine dos Anjos da Silva, conhecida como “Soberana”, que estava em liberdade, saiu presa do Tribunal do Júri, após ser condenada a 14 anos por homicídio duplamente qualificado.

Já o empresário Ademir Naide, de 46 anos, conhecido como “Gago” e Mateus Moreira Constantino, de 23 anos, o “Dog”, que estavam presos, tiveram as prisões preventivas revogadas e ambos foram condenados a 6 anos por homicídio simples e vão para o regime semiaberto.

O julgamento foi iniciado nesta segunda-feira (30), às 8h e terminou às 1h40 desta terça-feira (1º) e foi presidido pela magistrada Cristiane Aparecida Biberg de Oliveira, conforme o Jornal da Nova.

O MPE/MS (Ministério Público Estadual) denunciou sete pessoas acusadas de participar da execução de Ronaldo da Silva Lopes, de 20 anos, que foi morto a tiros em maio do ano passado em uma residência da Rua Vearni Castro, em Nova Andradina.

Eles foram presos em julho, durante a Operação Mudra, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) de combate a atuação Da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital.

Além dos três julgados foram detidos Willians Moreira, de 32 anos, o “Bonitão” (preso), Antônio Marcos dos Anjos Silva, de 31 anos, o “Daleste”(preso) e Bruno Fabrício da Silva, de 24 anos, conhecido como “Lapidado” (preso). Eles aguardam a data de um novo julgamento. 

O crime

Ronaldo da Silva Lopes, de 21 anos, estava dentro de sua residência quando, segundo testemunhas, dois homens em uma motocicleta, chegaram ao local, invadiram a casa e depois de mandar outros moradores que estavam na casa para os fundos da residência, efetuaram os disparos.

O jovem era do Distrito de Amandina, em Ivinhema, e teria chegado a Nova Andradina, no mesmo dia do crime. Após os disparos, os autores fugiram na moto. Equipes do Samu, das polícias Civil, Militar e do Núcleo de Perícias foram acionadas para o endereço.Ronaldo era suspeito de ter matado com 10 facadas João dos Santos, de 35 anos, na Vila Amandina, cerca de um mês antes.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions