ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Irmão de Bruno diz que Comando Vermelho participou da morte de Eliza

Com medo de morrer, Rodrigo afirma que não dará detalhes do que sabe antes de ter proteção

Leandro Abreu | 05/07/2016 14:30
Rodrigo Fernandes está preso no Piauí suspeito de estupro. (Foto: Yala Sena/CidadeVerde.com)
Rodrigo Fernandes está preso no Piauí suspeito de estupro. (Foto: Yala Sena/CidadeVerde.com)
Bruno foi condenado a 22 anos pela morte de Eliza Samúdio, que desapareceu em 2010 (Foto: Lucas Prates/Futura Press)
Bruno foi condenado a 22 anos pela morte de Eliza Samúdio, que desapareceu em 2010 (Foto: Lucas Prates/Futura Press)

Após afirmar ter visto a modelo Eliza Samúdio morrer, o irmão do goleiro Bruno Fernandes, informou em uma entrevista no Piauí, onde está preso por estupro, que a facção criminosa carioca Comando Vermelho está envolvida no crime e há um “pacto de silêncio” entre várias pessoas.

De acordo com o site UOL, Rodrigo Fernandes das Dores de Sousa, 27 anos, disse ter medo de ser morto quando voltar à rua. Por isso, não daria mais detalhes sobre o assunto sem ter proteção.

Além do Comando Vermelho, Rodrigo afirmou que o grupo PCM (Primeiro Comando do Maranhão) também estaria envolvido no crime. A facção é um dos grupos que tomam conta dos presídios do Maranhão. O irmão do goleiro Bruno disse ainda que o silêncio sobre os detalhes do que sabe é por medo de pessoas envolvidas no crime e citou a existência de um pacto "com Bruno e outras pessoas" para não revelar como tudo aconteceu.

O pedido de depoimento de Rogério partiu da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que ainda investiga o caso. No depoimento ele confirmou que estava no Rio de Janeiro quando Eliza foi sequestrada. "Disse também ter presenciado o homicídio de Eliza Samúdio, ocorrido em Minas Gerais, e informou que prestaria mais informações a respeito caso venha a ser incluído em programa governamental de proteção à testemunha", confirma em nota a Polícia Civil carioca.

A veracidade do depoimento está sendo apurada pela Polícia Civil tanto do Rio de Janeiro como de Minas Gerais, onde ocorreu o homicídio e devem estar os restos mortais de Eliza.

Caso - Bruno foi condenado a 22 anos pela morte de Eliza Samúdio, que desapareceu em 2010. À época, a jovem buscava na Justiça que o então goleiro do Flamengo reconhecesse a paternidade de seu filho, Bruninho. O menino mora em Campo Grande com Sônia Moura, mãe de Eliza.

Conforme a investigação, a modelo foi torturada e morta a mando do goleiro. Segundo os depoimentos, foram descobertos indícios de que o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, teria sido contratado para matar a jovem e esconder o corpo. Ele teria asfixiado e cortado o corpo de Eliza, jogando os pedaços para os cães da raça Rottweiler, que ele criava. A condenação de Bruno foi em 2013.

Nos siga no Google Notícias