ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  23    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

OAB abre processo disciplinar contra advogados presos na Lama Asfáltica

Aline dos Santos | 21/07/2018 16:32
OAB instaurou processo ético-disciplinar para apurar conduta dos advogados. (Foto: Fernando Antunes)
OAB instaurou processo ético-disciplinar para apurar conduta dos advogados. (Foto: Fernando Antunes)

A OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil) abriu processo ético-disciplinar para apurar a conduta dos advogados André Puccinelli Júnior e João Paulo Calves, presos ontem (dia 20) pela PF (Polícia Federal) na operação Lama Asfáltica.

De acordo com o presidente da OAB/MS, Mansour Elias Karmouche, a comunicação da prisão de um advogado resulta de forma automática em duas ações. “A primeira é acompanhar as prerrogativas do advogado e, depois, instituir processo ético-disciplinar, mesmo que a prisão não tenha sido por exercício profissional. É automático”, afirma.

O processo é sigiloso e demora, em média, um ano. As punições podem ser de advertência, suspensão ou cassação. No ano passado, em novembro, Puccinelli Júnior e Calves já haviam sido presos pela Polícia Federal, na fase batizada de Papiros de Lama. Essas prisões também resultaram em abertura de procedimento disciplinar.

O ex-governador André Puccinelli (MDB), o filho e Calves foram presos na operação Lama Asfáltica. Nesta nova etapa, a força-tarefa apontou que o Instituto Ícone figura como uma “poupança de propinas”. A acusação é de que o dinheiro da propina destinada ao ex-governador era repassado ao instituto, que apesar de superavitário, não remunerava com mesmo vigor financeiro Calves, seu único dono.

A suspeita é que o verdadeiro proprietário seja Puccinelli Júnior, que desde a abertura da empresa conta com procuração com poderes para “todos os atos que se fizerem necessário”.

O titular da 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande, juiz Bruno Cezar da Cunha Teixeira, decretou as prisões preventivas para garantia da ordem pública e interrupção dos atos de lavagem de dinheiro “cometidos, em tese, através do instituto.

Nos siga no Google Notícias