A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

25/02/2011 20:10

PM “fica” com preso por cerca de 1h antes de entregar à Polícia Civil

Nadyenka Castro

Ocorrência era de adolescente com revólver

Arma apreendida com adolescente, que estava em atitudes suspeitas com outros jovens. (Foto: João Garrigó)Arma apreendida com adolescente, que estava em atitudes suspeitas com outros jovens. (Foto: João Garrigó)

Policiais militares ficaram por cerca de uma hora com um adolescente flagrado com uma arma de fogo antes de entregá-lo à Polícia Civil, no fim da tarde desta sexta-feira, em Campo Grande.

Resolução publicada nesta semana pela Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), que já foi alterada, determina que os presos em flagrante tem que ser entregues ao delegado de plantão logo após a prisão.

No fim da tarde desta sexta-feira, policiais militares ficaram com um preso e quatro rapazes apontados como testemunhas, por pelo menos uma hora antes de entregá-lo à delegada de plantão.

Entre 17h30 e 18 horas, os policiais abordaram quatro jovens que estavam em atitudes suspeitas em um Gol, na avenida Marechal Deodoro. Um deles, um adolescente de 16 anos, assumiu ser o dono do revólver calibre 38 encontrado no veículo.

Os quatro foram então levados à Depac-Piratininga, onde há também sala da PM. Lá, eles ficaram por pelo menos uma hora antes de entregar à delegada, a qual recebeu a ocorrência pouco antes das 19 horas.

Os policiais responsáveis pela prisão foram ouvidos e o autor também. Pouco depois das 19h30 os militares, o adolescente e as testemunhas foram liberadas.

O garoto foi autuado por porte ilegal de arma de fogo e liberado para responder ao crime em liberdade. O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) diz que o menor de idade só pode ficar apreendido em caso de flagrante de grave ameaça à vida e/ou de violência.

Novo texto- Reunião realizada nesta sexta-feira mudou a redação das resoluções publicadas nesta semana. O novo texto será publicado na edição de segunda-feira do Diário Oficial do Estado e diz que será produzido um boletim de ocorrência único para as duas instituições; que a PM poderá entregar os presos a qualquer policial civil de plantão nas delegacias, sem precisar da presença de um delegado e que a PM2 (Serviço de Inteligência da Polícia Militar) poderá investigar crimes brutais, quando solicitado, e os que envolvem militares.

Em reunião, PM e Civil “selam” a paz, assinando novas resoluções
Reunião na tarde desta sexta-feira deu trégua à briga iniciada nesta semana entre Polícia Militar e Civil de Mato Grosso do Sul. Na prática, os proce...
Jacini confirma que resoluções sobre PM podem ter "aperfeiçoamentos"
Por meio da assessoria de imprensa, o secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jatini, informou que as resoluções sob...


Que lenga lenga sem fim.
Se a PM ficou com o marginalziho por um periodo de 1 hora foi para descobrir mais coisas que evideciariam que este aluno a vagabundo permanecesse mais tempo preso, ou apreendido como queiram.
Deixa a PM trabalhar, a sociedade agradece.
Pois somente quem foi a uma delegacia de policia civil confeccionar um boletim de ocorrencia sabe como esse povo é enrolado e atende mal as pessoas.
 
Pedro Nonato em 27/02/2011 01:24:11
Medidas infraconstitucionais... se já era difícil manter o marginal preso, imagina agora!!
Os Advogados vão tomar porre... é por isso que "os malas" saem da Delegacia antes dos Policiais...
 
Osni Martins em 26/02/2011 10:26:11
Veja bem poderão fazer investigações quando solicitados.
 
Marco Antonio em 26/02/2011 10:05:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions