ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 27º

Bate Papo Empreendedor

Coworking, home office ou escritório convencional?

Por Heitor Castro | 17/03/2022 08:30

Desde 2015, me aprofundo no estudo do mundo dos negócios e me especializei em gestão, com o foco nas novas tecnologias e inovações mundo afora.

Em meados de 2017, dei a ideia, ajudei na criação, implantação e expansão de um dos mais novos coworkings que surgiam em Campo Grande MS – e o timing veio justamente por estar em contínuo estudo sobre esses temas e perceber já naquela época essa tendência.

Hoje, em 2022, várias empresas surgiram desde então, disputando o mercado global, nacional e principalmente o mercado da nossa capital. O fato é que o coworking segue como tendência e a pandemia da covid-19 só fez acelerar esse processo.

Lembro de ter lido um artigo no site MIT News (Instituto de Tecnologia de Massachusetts - EUA) que dizia que desde o início da pandemia duas coisas aconteceram na economia mundial: ela ficou — concentrada e retraída —. Aos poucos houve pequenas chacoalhadas, tal como um champanhe francês prestes a ser aberto, e a previsão é que 2022 traga o momento do brinde, dando o início à volta do sentimento de segurança das pessoas em investir e em se arriscar em novos projetos.

Pesquisas mostram que o mercado de coworking está em crescimento pois existem vários proprietários com imóveis parados em busca de renda extra. Por outro lado, há muitas pessoas querendo empreender em locais que tenham estrutura corporativa com baixo custo inicial.

Mas e o escritório convencional? E o home office? Como ficam? A pandemia fez com que as empresas repensassem seus gastos fixos. Com isso, vários empresários têm abandonado o formato tradicional de prédios robustos com alto custo operacional (água, luz, internet, limpeza, segurança, estrutura de mesas, cadeiras, etc). Eles começaram a migrar suas equipes para os coworkings, com a intenção de reduzir gastos estruturais e deveres contratuais burocráticos. Em consequência também da covid-19, muitas dessas empresas realocaram seus colaboradores para o home office e vários desses profissionais, por dificuldades em trabalhar em casa (filhos, cachorros, barulhos, desconfortos e distrações), passaram a buscar os coworkings com a intenção de ter infraestrutura e concentração.

O coworking é o futuro pois abrange tanto o setor público quanto o privado. Acolhe desde o funcionário público em home office, até o pequeno, médio e grande empreendedor que deseja reduzir gastos e não quer se preocupar com a gestão estrutural de um ambiente de trabalho.

Nos últimos anos, conversei muito com empreendedores, especialistas e colaboradores sobre as mudanças promissoras que podem acompanhar a mudança no formato que trabalhamos, e o melhor conselho que posso dar é que, apesar do desconforto inicial e de uma possível insatisfação, essa primeira impressão pode ser trabalhada para colher todas as vantagens do novo formato de trabalho híbrido.

Dica para vocês empreendedores:

1) Reconheça que o futuro é a flexibilidade Empresas determinadas a voltar ao trabalho depois da covid-19 precisam entender que a flexibilidade veio para ficar, o novo presente envolve um mix de trabalho remoto e presencial. Muitos, naturalmente, não têm qualquer desejo de voltar ao modo como as coisas eram; assim, lhes restam duas opções: lutar contra essa onda e ver as pessoas partirem ou começar a lidar com esse futuro agora.

2) Sempre peça feedback e escute com atenção Pedir feedback e depois ignorá-lo é uma receita para o fracasso. Se você está realmente interessado em cultivar uma ambiente de trabalho flexível que atende aos melhores interesses empresa, continue ouvindo ativamente as opiniões dos colaboradores (e agindo!).

3) Gestão flexível é uma habilidade Gerenciar pessoas é difícil. Mesmo antes da pandemia, a maioria dos líderes tinha pouco treinamento em fazer a gestão de colaboradores com sucesso. Sem o contato físico, gerenciar pessoas de forma remota, pela tela do computador, passa a exigir uma habilidade muito maior. Foque em fornecer treinamentos com a mentalidade desse novo normal presencial e remoto. É hora de começar a inserir na rotina de sua empresa essa nova configuração de trabalho e se adaptar a ela, o que inclui desenvolver uma — gestão — com essa visão.

Para os colaboradores:

1) Reconheça o desconforto Nós não somos seres elásticos que podem simplesmente voltar ao modo anterior de trabalho. A grande maioria das empresas ainda carrega as tensões da pandemia, possui lacunas de cuidados com a saúde e nutre o medo de exposição à covid-19 (que permanece com a nova variante Ômicron). Trabalhe com seu líder para se adaptar e compreender esse momento. Isso pode incluir gerenciar melhor suas demandas no trabalho, tanto em home office quanto in loco, no ambiente de trabalho da empresa.

2) Identifique o seu ritmo Por quantas horas você consegue se manter produtivo? Seja em home office ou na sede da empresa, é importante criar um rotina de trabalho (pelo menos de alguma forma) em torno do que funciona para você. Você pode estar adaptado produzindo de casa, mas a volta ao trabalho oferece a chance de reorganizar suas demandas de forma significativa.

De qualquer modo, todos nós, independente do cargo ou posição em uma empresa, devemos compreender e nos adaptar a esse novo formato de trabalho híbrido, pois desde que as vacinas se tornaram amplamente disponíveis em todo mundo, a tendência é que isso cresça cada vez mais.

Nos siga no Google Notícias