ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 21º

De olho na TV

Comedimento é pauta principal do radiojornalismo

Por Reinaldo Rosa | 03/02/2020 11:09

LÁ E CÁ – Prefeituras de São Paulo e Rio de Janeiro abrem alas para desfiles técnicos das escolas de samba para o carnaval deste ano. Grandes públicos, em ambas as praças, já têm a letra dos temas na ponta da língua. Enquanto isso, por aqui...

RENOVAÇÕES – Imagem e entrevistas do jornalista Otávio Neto já não fazem parte do espelho do site da CBN. Novo ocupante do posto, Guilherme Filho, tem estreia anunciada para este mês de fevereiro, com funções e menos poderes que o antecessor.

DESCARTÁVEIS – Manual de Redação de certos jornais de Mato Grosso do Sul poderiam rever textos – conceituais e antiquados-. Aumento de expectativa de vida já não comporta citação como ‘idoso’ quando o escriba refere-se a pessoa com 55 anos, por exemplo.

FORA DE ESTAÇÃO – Emissoras de rádios sem espaço para cobertura do campeonato de futebol sul-mato-grossense colaboram com crescimento do esporte na faixa web. FFMS age como ‘fornecedora de conteúdo’ criando inédita rede de rádio e TV para transmissões ao vivo que a entidade faz da disputa. Mercado aberto.

PEGA LEVE – Noticiosos de rádio acusam preços abusivos cobrados por empresa repassadoras de novas placas da fase Mercosul. Pane nos computadores do Detran, poucos dias antes do prazo do troca-troca obteve comentários comedidos sobre ‘coincidência dos acontecimentos’. Falar o quê? Né?

PÓS CAIXÃO FECHADO – Dona Maria do Céu, a mãe de Augusto Liberato, afirmou no ‘Fantástico’ que o casamento de Rose Miriam Di Matteo com seu filho nunca existiu. “Não passava de suposições”. Em meio à briga judicial pela herança do apresentador, ela declarou que Gugu e a esposa viviam separadamente.

VEJA BEM - Regina Duarte já tem ideia das dificuldades que vai enfrentar com a classe artística após aceitar convite para assumir a pasta da Secretaria Especial de Cultura. A atriz foi alertada para não confundir amizade e admiração por ela com apoio ao governo.

CRASH – ‘Jornal Nacional’ abre maior espaço para notícias policialescas e terror oficial nas entrelinhas. Assassinato de mãe, pai e irmão, supostamente de autoria de filha e companheira virou pauta considerável pela editoria. Relativismo entre voos de auxiliar da Casa Civil e falta de caixa para retirar brasileiros da cidade de Wugan, na China (argumento do presidente Bolsonaro) ganhou destaque crítico da emissora.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário