ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 35º

Em Pauta

A banalidade do colapso democrático

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 01/08/2021 09:47
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O Brasil é o quarto país que mais se afastou da democracia em 2020 em um ranking de 202 países analisados pela Universidade de Gotemburgo, na Suécia. De acordo com o índice, no qual zero representa um regime ditatorial completo e 1 é igual a democracia plena, o Brasil registra pontuação de 0,51. A queda é grande. Em 2010, estávamos com 0,79. A queda só não foi maior que a Polônia, Hungria e Turquia. O breve experimento democrático brasileiro pode estar chegando ao fim. Isso não é uma hipérbole. É óbvio para qualquer pessoa que acompanhe a política.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Como chegamos a esse ponto.

Lemos todos os dias sobre a raiva da base bolsonarista, que passa a acreditar, esmagadoramente, que as eleições do próximo ano possam ser fraudados. Se Bolsonaro perder, bem entendido. Muitos analistas de plantão creditam que isso é coisa de maluco. É uma banalidade. As teorias de conspirações sempre circunscreveram as eleições nacionais. A tal "maluquice" - resultado fraudado, sem prova alguma - esteve presente em todos os pleitos. O estilo paranoico em nossa política é regra e não exceção. O PT, por exemplo, sempre gritou "é fraude" em suas derrotas, tanto municipais, estaduais ou nacionais. Portanto, não será devido ao extremismo, à maluquice - aqueles que acreditam em conspirações - que a democracia falecerá.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O carreirismo domina o cenário político.

O que importa é a aquiescência das elites bolsonaristas ao fim da democracia. A grande mentira sobre fraudes em eleições não surgiu da base bolsonarista. Foi promovida de cima, veio do alto comando de Bolsonaro e seus príncipes herdeiros. Mera cópia do trumpismo. Mas o que é crucial é que nenhum parlamentar bolsonarista se indispõe contra essa mentira. Também não há empresário disposto a combatê-la. A coalizão de esquerda  -  sindicatos, ambientalistas, ativistas LGBTQ e outros mais -  não consegue encher a Avenida Paulista, é muito limitada. Serve apenas para amedrontar o Palácio do Planalto e abrir mais e mais espaço para os carreiristas do denominado Centrão. E são os carreiristas, tanto no Executivo como no Legislativo, que verdadeiramente colocam em risco a democracia. Para eles, o que importa é o destino de seus elevados salários e benesses e outros interesses inconfessáveis. Os carreiristas têm de ser expostos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário