ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 30º

Em Pauta

O cabelo não nega. A discriminação capilar

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 09/04/2024 08:00
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Há poucos dias, a Assembleia Nacional da França -  o equivalente à nossa Câmara de Deputados - aprovou um projeto de lei que visa combater a "discriminação capilar", especialmente no local de trabalho. O texto é de autoria de um deputado de Guadalupe, uma ilhota do Caribe que continua pertencendo à França. Prevê punir qualquer discriminação "ao corte, à cor, ao comprimento ou à textura do cabelo". Ainda falta aprovar no Senado, mas está bombando nas redes sociais e na imprensa do Ocidente.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Cabelos negros e ruivos. E os carecas?

Na proposta, o deputado afirma que uma pesquisa norte-americana aponta que 25% das mulheres negras entrevistadas perderam vagas de emprego devido ao formato do cabelo usado durante a entrevista. Também garante que os cabelos ruivos passam pela mesma discriminação, assim como homens calvos. O deputado é esperto, uniu três grandes grupos sociais, pelo menos na França: mulheres negras, todos os ruivos e os carecas.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Cópia de leis existentes.

Ainda que tenha obtido uma fama impensável, esse projeto é copiado de leis existentes em vinte Estados dos EUA. São leis que combatem o racismo. Na Grã Bretanha, essa ideia é bem mais eficaz. Não fica perdida em uma lei que pode ser esquecida em um instante. O governo publicou cartilhas em todas as escolas do Reino Unido combatendo a discriminação capilar (ou pela falta de cabelos).

Nos siga no Google Notícias