A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018

04/10/2011 15:30

Com 160 unidades, residencial no Rita Vieira vai movimentar R$ 27 milhões

Fabiano Arruda
Novo residencial terá oito torres e ampla área de lazer. (Foto: Divulgação)Novo residencial terá oito torres e ampla área de lazer. (Foto: Divulgação)

Pelo menos R$ 27 milhões devem ser movimentados em vendas no novo residencial a ser construído no bairro Rita Vieira em Campo Grande, com 160 unidades.

O VGV (Valor Geral de Vendas), parâmetro utilizado no mercado imobiliário, é estimado pela construtora Rossi.

Será o quatro empreendimento da incorporadora em um ano e meio na Capital. Os outros três lançados têm 708 unidades e fazem parte do programa do Governo Federal “Minha Casa, Minha Vida”. A previsão de entrega é para outubro de 2013.

Ao contrário dos primeiros, o novo empreendimento, batizado de Rossi Praças Veredas, vai atender clientes da classe B, explica o diretor Gustavo Barreto Chaves.

O residencial terá de dois a três dormitórios com suíte, varanda e apartamentos, a partir de 57 metros quadrados. Serão oito torres com uma e duas vagas de garagens, que disporão de churrasqueira, salão de festas, playground, brinquedoteca, piscina, quadra poliesportiva, pista de caminhada e praça central.

A construtora montou central de vendas no cruzamento das avenidas Interlagos e Rita Vieira.

Diferencial - O diretor da incorporadora afirma que a empresa se instalou em Campo Grande baseada em pesquisas e planejamento estratégico que levam em conta o potencial de crescimento e renda da Capital.

“Campo Grande tem infraestrutura urbana acima da média no País, com projeção de crescimento ordenado”, frisa.

Gustavo Barreto ainda afirma que nos próximos anos a construtora vai atuar com toda a cartela de produtos, atendendo clientes de todos os segmentos de renda.

Sobre o programa “Minha Casa, Minha Vida”, o diretor da Rossi garante que a empresa seguirá atuando no segmento.

CPI - Barreto também aproveitou para comentar sobre a instalação de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Assembleia Legislativa que investiga possíveis irregularidades trabalhistas praticadas por construtoras no Estado.

Ele garantiu que a Rossi procede dentro da legalidade, tanto nas relações trabalhistas, quanto com os consumidores.

Além disso, afirmou que a empresa não foi notificada pela CPI e que não faz parte da lista das construtoras investigadas.

Loja terá que pagar indenização por colocar nome de consumidor no SPC e Serasa
Os desembargadores da 5ª Câmara Cível negaram recurso da rede de varejo Casas Bahia contra sentença que a condenou ao pagamento de R$ 7 mil por danos...
Justiça condena empresa telefônica por bloquear linha de cliente
Os desembargadores da 3ª Câmara Cível negaram recurso da companhia telefônica Tim, condenada em primeiro grau a pagar R$ 8 mil a um morador de Três L...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions