A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

06/01/2012 08:23

Comando Militar do Oeste reativa Operação Boiadeiro nesta sexta-feira

Edmir Conceição

Tropas do Exército retomaram nesta sexta-feira, às 8h, na região de fronteira, a Operação Boiadeiro, para impedir o trânsito irregular de gado, em razão do novo foco de febre aftosa no Paraguai. A reativação da Operação Boiadeiro foi confirmada ontem à noite pelo CMO (Comando Militar do Oeste).

O comandante militar do Oeste, general João Francisco Ferreira, recebeu de manhã, em Ponta Porá, o ministro da Agricultura e Pecuária, Mendes Ribeiro, que veio ao Estado para acompanhar as ações contra a aftosa na fronteira.

De acordo com o CMO, grupos de 10 militares estão instalados em postos da Iagro nas regiões de Porto Murtinho, Bela Vista, Ponta Porã, Paranhos e Sete Quedas, áreas mais vulneráveis ao trânsito e contrabando de animais. Os pontos de controle na fronteira de Ponta Porã serão visitados nessa manhã pelo ministro Mendes Ribeiro.

O ministro fez sobrevoo nas estradas da região e, depois, se reunir, na Sede do Sindicato Rural, com lideranças políticas e ruralistas da cidade, o ministro embarcou para Campo Grande, para reunião com o governador André Puccinelli e a secretária de Produção, Tereza Cristina, e diretoria da Iagro (Agência de Sanidade Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul).

O segundo foco de aftosa no Paraguai foi registrado no departamento de San Pedro, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com Mato Grosso do Sul, deixando em alerta doso os municípios ao longo dos 650 quilômetros de fronteira seca. Estão no raio da Operação Boiadeiro os municípios de Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Amambai, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol e Porto Murtinho



O governo deveria mesmo era dar um jeito de por os frigorificos da região de fronteira para funcionar, gerar mais empregos, e parar com esta gastança com militares e força disto, força daquilo, que só faz mesmo é gastar o dinheiro publico e não resolve o problema do povo da região, que é a falta de trabalho.
 
sergio oliveira em 06/01/2012 09:45:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions