ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 11º

Economia

Em uma década, pessoas que trabalham com veículos próprios cresce 132% no MS

Mato Grosso do Sul é o segundo com mais profissionais nessa modalidade

Por Kamila Alcântara | 21/06/2024 14:29
Motorista de aplicativo trabalhando na Capital (Foto: Caroline Maldonado)
Motorista de aplicativo trabalhando na Capital (Foto: Caroline Maldonado)

Durante a pesquisa sobre o mercado de trabalho em 2023, divulgada pelo BGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (21), foi constatado o aumento de 132% no número de pessoas que trabalham em veículos próprios no Mato Grosso do Sul. O Fenômeno leva em consideração os trabalhadores nessa função em 2012, que chegava a 34 mil, com os 79 mil de 2023.

Esse levantamento coloca o Estado em segundo lugar em todo país nesse modelo de ocupação, atrás apenas do Acre.  Para quem trabalha como motorista de aplicativo, a migração para essa modalidade de trabalho é reflexo na implantação dos aplicativos e a crise do desemprego durante a pandemia.

“O desemprego estava muito grande e as pessoas buscaram o transporte de passageiros por aplicativos uma maneira de sobrevivência, para poder levar o seu pão de cada dia para sua casa. Agora, nosso setor é fundamental para a mobilidade urbana nas cidades do mundo inteiro”, defende Paulo Pinheiro, de 55 anos, presidente da Applic/MS (Associação de Parceiros de Aplicativos de Transporte de Passageiros e Motorista Autônomo de Mato Grosso do Sul).

Já Diego Raulino, presidente do Sindimob/MS (Sindicato dos Motoristas de Mobilidade Urbana de MS), destaca a importância da independência trabalhista, da escolha de muitas pessoas de atuarem como celetistas.

“Eu trabalho com meu carro, a manutenção do carro é minha, o combustível é meu, eu não tenho registro em carteira e faço o meu horário. Então, o pessoal busca autonomia financeira, está deixando de lado o CLT, mesmo sabendo que não tem uma renda fixa no aplicativo, mas trabalha a quantidade de horas que quiser”, termina Diego.

A pesquisa do IBGE investiga um conjunto de informações sobre força de trabalho e os indicadores são apresentados para o conjunto do país, grandes regiões e unidades da federação.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias