A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

27/03/2015 23:07

FDCO pretende investir R$ 1,2 bilhão em projetos que mudem realidades

Daniel Machado
Para Agrício Braga, R$ 1,2 bilhão será investido só para Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação) Para Agrício Braga, R$ 1,2 bilhão será investido só para Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)

Tida como linha complementar do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste), o FDCO (Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste) tem R$ 1,2 bilhão disponível para 2015. A informação foi apresentada ao governador Reinaldo Azambuja pelo coordenador geral do FDCO, Agrício Braga, na tarde desta sexta-feira (27).

O FDCO é gerido pela Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste), abrange toda a região e seu diferencial está em assegurar recursos acima de R$ 30 milhões para financiamentos.

Segundo o coordenador do Fundo, este ano estão disponíveis R$ 1,2 bilhão para serem aplicados em toda a região. “Apresentamos hoje um panorama geral do Fundo com taxas, prazos e montante. Para 2015 estarão disponíveis esses R$1,2 bilhão enquanto o FCO disponibilizará só para Mato Grosso do Sul R$ 1,3 bilhão”, pontuou.

De acordo com o titular da Semade (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico), Jaime Verruck, que também participou da reunião, enquanto os recursos do FCO são divididos por estados da região Centro-Oeste, o FDCO prevê um valor único a ser utilizado pelos componentes, a depender da demanda de cada um.

“Em conversa com o governador e a Sudeco hoje, tomamos conhecimento que temos no portfólio do Estado quatro grandes empreendimentos que poderão ser financiados pelo FDCO. Então já vamos entrar em contato com os empresários e discutir esses financiamentos”, disse.

Ainda segundo Jaime Verruck, o objetivo do FDCO é financiar empreendimentos que mudem uma realidade regional. “Esse fundo pode trazer benefícios para a área de fronteira, regiões mais pobres e ele financia indústria, infraestrutura, agroindústria, turismo, enfim boa parte dos empreendimentos de maior porte. Mas, sobretudo ele deve provocar uma mudança local”, ressaltou.

A diferença entre o FCO e o FDCO reside principalmente na amplitude da aplicação dos recursos. O primeiro tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento econômico e social da região, mediante a execução de programa de financiamento aos setores produtivos. Já o FDCO foi instituído com a finalidade de assegurar recursos para a implantação de projetos de desenvolvimento e a realização de investimentos em infraestrutura, ações e serviços públicos considerados prioritários no Plano Regional de Desenvolvimento do Centro-Oeste.

Durante o encontro também foram traçadas as estratégicas de articulação entre o Governo do Estado e Sudeco para levar ao FDCO empreendimentos competitivos.

Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions