A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

12/08/2010 10:35

MS é 2º em que a desigualdade mais cresceu desde 96

Redação

Estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgado nesta quinta-feira mostra que Mato Grosso do Sul figura como um dos dois estados em que a desigualdade dos PIBs (Produto Interno Bruto) municipais mais aumentou de 1996 a 2007.

O estudo considera o grau de desigualdade do Produto Interno Bruto dos municípios brasileiros, com base no índice Gini. O índice varia de zero a um e quanto mais próximo de 1, maior a desigualdade.

No período o índice Gini nos PIBs (Produto Interno Bruto) municipais subiu 1,9% em Mato Grosso do Sul, atrás apenas do Espírito Santo onde o índice cresceu 3,7%.

Em todos os outros Estados brasileiros o grau de desigualdade diminuiu. O aumento da desigualdade constatado em Mato Grosso do Sul vai na contramão da variação anual média do PIB per capita municipal, que foi de 2,2% entre 1996 e 2007.

O PIB de 2007 foi divulgado em dezembro do ano passado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Apontava que os cinco principais municípios sul-mato-grossenses detinham 54,4% do PIB estadual, maior índice de concentração do Centro-Oeste.

São eles: Campo Grande (PIB de R$ 8.944.688.000) , Dourados (R$ 2.364.801.000), Corumbá (R$ 2.052.367.000), Três Lagoas (R$ 1.283.891.000) e Maracaju (659.044.000).

Quando analisado o coeficiente Gini, que mede a desigualdade, os setores econômicos que apresentam maior concentração são da indústria 0,76 e serviços 0,72. Na agropecuária está em 0,41. Em geral, Mato Grosso do Sul ainda tem um dos menores índices de desigualdade do País, de 0,69.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions