A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

06/02/2012 12:37

Puxada por mensalidades, inflação sobe e atinge 0,83% em Campo Grande

Fabiano Arruda

A inflação atingiu 0,83% no mês de janeiro, em Campo Grande, puxada, principalmente, pelas mensalidades escolares que ficaram, em média, 5,43% mais caras. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação chega a 5,97% na Capital.

Os dados do IPC/CG (Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande) foram divulgados nesta segunda-feira. Em dezembro, a inflação na Capital foi de 0,58%.

“Mas essa inflação é menor do que aquela apresentada no mesmo período do ano passado - 1,40% -, indicando uma tendência de queda durante este ano, no sentido de atingir o centro da meta de inflação estabelecida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), que é de 4,5%”, lembra o coordenador do Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas e Sociais) da Universidade Anhanguera-Uniderp, Celso Correia de Souza.

O aumento de preços no ensino fundamental é médio foi de 10,67, enquanto o ensino superior ficou 6,46% mais caro e o ensino infantil 5,65%. Do outro, lado, baixaram os preços os cursos de idiomas (-12,37%) e papelaria (-0,33%).

Outra frente que registrou forte alta de preços, de produtos e serviços, foi o grupo Saúde, que encerrou janeiro com inflação de 1,30%. Segundo divulgado, os planos de assistência média, por exemplo, ficaram 4,16% mais caros.

O grupo alimentação também apresentou alta inflação: 0,73%. Influenciados pelo excesso de chuvas, os produtos que mais influenciaram foram o chuchu, com alta de 45,24%, mamão (24,73%), maracujá (21,57%) e feijão (19,43%). Já itens como limão, milho verde e peças de carne como acém, ponta de peito, paleta, costela suína, costela bovina e lagarto ficaram mais baratos.

Já o grupo Despesas Pessoas registrou 0,51% com elevação de preços como manicure e pedicure (6,99%) e produtos para limpeza de pele (4,97%) e sabonete (4,62%). O grupo de Habitação, por sua vez, ficou em 0,17% de inflação.

Apenas dois grupos registraram deflação, conforme o IPC/CG. O de transportes (-0,55%) com queda nos preços de automóvel novo (-1,75%), gasolina (-1,67%) e óleo diesel (-1,38%). O do vestuário apresentou (-031%).

“Como as autoridades do Governo têm colocado, a tendência da inflação neste ano de 2012 é convergir para o centro da meta, que é de 4,5%, o que tudo indica, vai ocorrer”, analisa pesquisador do Nepes, José Francisco dos Reis Neto.

“A inflação acumulada nos últimos 12 meses todas estão positivas, destacando Vestuário com 9,60%, Educação 7,31%, Habitação 7,28% e Saúde 7,10%, com índices acima da inflação acumulada nesses últimos 12 meses, que foi de 5,97%”, complementa o pesquisador.

O IPC/CG busca medir o nível de variação dos preços mensais do consumo de bens e serviços, a partir da comparação da situação de consumo do mês atual em relação ao mês anterior, de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions