ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 30º

Educação e Tecnologia

Duas maiores escolas da Capital terão escalas diferentes no retorno após um ano

Primeiras duas semanas serão destinadas a acolhida e orientação sobre próximos passos

Por Aletheya Alves | 26/02/2021 17:56
Máscaras e álcool serão para alunos, face shield e borrifador para servidores. (Foto: Kísie Ainoã)
Máscaras e álcool serão para alunos, face shield e borrifador para servidores. (Foto: Kísie Ainoã)

A sexta-feira foi de preparação para receber alunos após um ano à distância. As duas maiores escolas da REE (Rede Estadual de Ensino) em Campo Grande, Joaquim Murtinho e Hércules Maymone, terão escalas diferentes para a ida dos adolescentes presencialmente. Os 194,7 mil alunos matriculados na rede em todo Estado irão iniciar o ano letivo de forma híbrida, sendo parte presencial e parte remota.

Para manter o distanciamento social e conseguir recepcionar os alunos de forma adequada a partir do dia 1º de março, a escolha da Escola Estadual Joaquim Murtinho foi dividir a presença dos adolescentes em três dias, de acordo com seus respectivos turnos. De acordo com o diretor Claudio Morinigo, os alunos do 1º ano do ensino médio irão na segunda-feira (1), os do 2º ano na terça-feira (2) e os do 3º ano na quarta-feira (3).

Diretor da Escola Estadual Joaquim Murtinho relata sobre retorno dos alunos. (Foto: Kísie Ainoã)
Diretor da Escola Estadual Joaquim Murtinho relata sobre retorno dos alunos. (Foto: Kísie Ainoã)

Ainda sobre presença na escola, os 1.900 alunos irão apenas duas vezes durante março conforme explicação de Cláudio. Alunos do 1º ano, por exemplo, irão apenas no dia 1º e depois no dia 8, ou seja, vão apenas nas duas segundas-feiras. Após esses dois dias de presença, todos os alunos retornam para as aulas online até finalizar o mês.

Nesta sexta-feira (26), servidores da escola estavam finalizando os preparativos em quesito de estrutura. De acordo com Cláudio, as máscaras que os alunos irão receber, álcool gel, álcool disponibilizado em sala para professores e separação de carteiras já estão em seus devidos lugares para aplicação e distribuição.

Carteiras estão sinalizadas indicando espaços não podem ser utilizados. (Foto: Kísie Ainoã)
Carteiras estão sinalizadas indicando espaços não podem ser utilizados. (Foto: Kísie Ainoã)

Outro ponto relatado pelo diretor é que dispensadores de álcool ao lado de cada sala também foram instalados. “Serão no máximo dez turmas por turno. Primeiro vamos permanecer no ginásio com uma devolutiva para os alunos e depois encaminhamos para as salas com carteiras sinalizadas. Estamos correndo atrás, montando tudo”, diz.

Resumindo o objetivo do retorno em forma presencial durante as duas primeiras semanas, o diretor diz que a intenção é testar e avaliar a situação em que os alunos estão. “Vamos ver como eles reagem às normas. Também vamos trabalhar sobre a questão do ensino online. Ano passado a gente não se preparou para ser online. Agora vamos ensinar como entrar e ouvir quais foram as principais dificuldades”.

Dispensadores de gel foram instalados ao lado de todas as salas. (Foto: Kísie Ainoã)
Dispensadores de gel foram instalados ao lado de todas as salas. (Foto: Kísie Ainoã)

Seguindo estrutura parecida, a Escola Estadual Hércules Maymone também irá escalonar o retorno dos alunos. Conforme explicado pelo diretor William Geraldo Cavalari Barbosa, a presença dos adolescentes também será apenas em dois dias durante março, conforme escala de cada ano.

Rotina planejada para a Escola Estadual Hércules Maymone. (Foto: Kísie Ainoã)
Rotina planejada para a Escola Estadual Hércules Maymone. (Foto: Kísie Ainoã)

Já em abril, caso o cenário continue o mesmo, as turmas irão uma semana presencialmente e outra à distância. “Por exemplo, uma turma do 1º ano vai uma semana presencial e na outra essa mesma turma terá aulas online. Todas essas orientações serão passadas aos alunos”, completa.

Em ambas as escolas será oferecido lanche para verificar como será a reação de comportamento dos alunos. De acordo com os diretores, adaptações serão feitas a partir da avaliação durante as próximas duas semanas.

Espaço para fila de alunos foi marcado para manter distanciamento. (Foto: Kísie Ainoã)
Espaço para fila de alunos foi marcado para manter distanciamento. (Foto: Kísie Ainoã)

À distância - Caso os pais não queiram enviar os filhos às escolas, deverão assinar um termo de compromisso. Tanto a acolhida durante as duas primeiras semanas quanto o modelo híbrido em abril são facultativos, ou seja, os alunos não são obrigados a ir.

Com a não ida dos alunos presencialmente, não haverá falta, mas irão precisar fazer atividades remotas. Para a volta às aulas, os alunos irão receber um kit com três máscaras, um pote de álcool em gel 70% de 480 ml e uma bisnaga de 100 ml para reposição.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário