ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Jogo Aberto

Agência que administra presídios quer Jamil Name longe de MS

Por Marta Ferreira, Aline dos Santos e Leonardo Rocha | 18/09/2020 06:00
O empresário Jamil Name, que está preso em Mossoró (RN) desde outubro do ano passado. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
O empresário Jamil Name, que está preso em Mossoró (RN) desde outubro do ano passado. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Indesejado - A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) defende a permanência do empresário Jamil Name, 81 anos, atualmente na penitenciária federal de Mossoró (Rio Grande do Norte), no sistema federal, destinado a presos de alta periculosidade. É o que está declarado em ofício enviado à Justiça esta semana.

Indefinido - A permanência do empresário na unidade do Rio Grande do Norte vai até 5 de outubro, mas a a Polícia Civil e o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) pedem a prorrogação à Justiça. A Agência, consultada, concordou com o argumento.

Considerando, por fim, que as medidas de isolamento de lideranças de organizações criminosas visam manter indivíduos de alta periculosidade, grande capacidade de articulação e expertise nas atividades próprias do meio ao qual pertencem, a manutenção da custódia de Jamil Name no SPF [Sistema Penitenciário Federal] é medida que se impõe", argumenta a Agepen no processo de transferência, que tramita na 1ª Vara da Execução Penal de Campo Grande.

Ofício – Em correspondência ao juiz corregedor do presídio federal de Mossoró, Walter Nunes, o magistrado de Campo Grande que cuida da execução penal provisória, Mário José Esbalqueiro, pediu explicação sobre o prazo para Name ser mantido na unidade federal. O retorno veio nesta quinta-feira, mas foi pouco claro e ainda não há precisão sobre o que vai acontecer.

Incomum -  A defesa de Name diz que a situação dele é esdrúxula, pois há duas inclusões no sistema prisional federal, a que está vencendo, e uma nova, por mais um ano, determinada em junho. O defensor do preso octagenário, Tiago Bunning, disse que a defesa estuda que caminhos jurídicos vai seguir, na tentativa de evitar que o cliente continue longe da família. A alegação é de que a idade avançada, aliada a doenças como diabetes, deveriam ser levadas em consideração.

Intercâmbio - Um dos delegados  que integrou as investigações da operação Omertà, João Paulo Sartori, vai ficar 11 meses na Espanha, estudando o combate à corrupção. O policial embargou nesta quinta-feira.

Dois - Além dele, o delegado Rodrigo Camapum, lotado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, também viajou com o mesmo intuito. Segundo a Polícia Civil, o curso em nível de mestrado será na universidade de Salamanca. O compromisso é que, na volta, Sartori e Camapum difundam na corporação o conhecimento acumulado.

Batizada - O presidente municipal do PSD, Antonio Lacerda, anunciou que a coligação do prefeito Marquinhos Trad (PSD) vai se chamar Avançar e fazer mais". São 9 partidos aliados.

Novo normal -   Lacerda disse que a campanha de Marquinhos será sem aglomeração. Segundo ele, realidade imposta pela covid-19 coloca o foco, ainda mais, nos cabos eleitorais digitais, atuando principalmente nas redes sociais para entrar em contato com os eleitos.

Auxílio - A Secretaria Estadual de Saúde lançou o programa de "padrinhos e madrinhas" dos municípios, que serão servidores da pasta que vão orientar os prefeitos e secretários municipais sobre as ações em relação a covid, retirando dúvidas e passando informações sobre o combate à pandemia.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário