A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


17/12/2014 06:00

Antes de aposentadoria ser anulada, deputado chorou com indicação

Edivaldo Bitencourt

Estranho – O governador André Puccinelli (PMDB) rebateu, ontem, as críticas feitas na segunda-feira (15) pelo sucessor, Reinaldo Azambuja (PSDB). Ele disse que não entendeu as críticas e até alfinetou ao ressaltar que a ferrovia é competência do Governo federal.

Nem ai – Puccinelli destacou que não se sente atingido pelas críticas disparadas pela oposição. Ele frisou, durante evento na Governadoria, que está alegre e de bem com a vida. Também se defendeu das acusações de que estaria mais nervoso no encerramento do mandato.

Sem volta – O peemedebista destacou que não planeja mais voltar para a vida pública após deixar o governo. Deputado estadual, deputado federal, prefeito da Capital e governador do Estado por dois mandatos, André Puccinelli ressaltou que não tem mais para que voltar à vida política.

Sem chance – O governador não pretende disputar nenhum outro cargo eletivo. Neste caso, descarta aceitar a pressão dos aliados para ser candidato a prefeito da Capital em 2016. Ele disse que os apadrinhados devem seguir voo solo a partir de agora.

Renovar – Puccinelli voltou a frisar que a meta, a partir de 2015, é cuidar dos netos. “É hora de renovar”, ressaltou. Ele afirmou que a imprensa está exagerando ao dar importância a sua presença na chapa para alavancar o PMDB em eleições futuras.

Nova aliada – A advogada Jaqueline Romero Hidelbrand ganhou um cargo na administração municipal. Ex-aliada de Alcides Bernal (PP), ela foi nomeada para integrar a Secretaria Municipal de Governo. Agora, a ex-secretária da Mulher é a nova defensora de Gilmar Olarte (PP).

Polêmica sem fim – A aposentadoria do conselheiro José Ricardo Cabral ainda vai dar muito pano para manga. O Tribunal de Contas do Estado afirmou e reafirmou que o ato foi ilegal e não há vaga aberta.

Emoção – Ao ser indicado para assumir a vaga de Cabral, o deputado estadual Antonio Carlos Arroyo (PR) foi as lágrimas durante sessão na Assembleia Legislativa. No entanto, a emoção, o ápice de um processo iniciado quando o deputado desistiu da reeleição, ocorreu antes do ato ser considerado nulo pelo TCE.

Justiça – A guerra pela indicação do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado pode parar na Justiça. Já houve polêmica quando o ex-secretário estadual de Segurança Pública, Franklin Masruha, foi indicado para o cargo. Ele deixou a vaga para o atual titular, José Ricardo Pereira Cabral.

Mais tempo – Com a suspensão da eleição pela Justiça, o atual presidente da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública), Geraldo Alves Gonçalves, ganhará mais tempo na função. Amanhã, a entidade faz assembleia geral para prorrogar o mandato até o fim do impasse criado pela oposição.

(colaboraram Leonardo Rocha, Michel Faustino e Aline dos Santos)

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions