A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


25/06/2015 06:00

Deputada quer acabar com estabilidade no serviço público

Edivaldo Bitencourt

Polêmica - Em evento realizado ontem, representantes do setor produtivo e do Governo do Estado deixaram claro que a estabilidade dos servidores estaduais é um problema para a gestão. Segundo eles, isso "engessa" as contas do governo, que é obrigado a dar reajustes anuais, plano de carreira e demais benefícios estabelecidos na Constituição.

Mudança - Mais do que se mostrar contra a estabilidade dos servidores públicos, as autoridades demonstraram que têm planos de mudar isso. O secretário de Governo, Eduardo Riedel, citou a deputada federal Tereza Cristina (PSB), que disse a ele que ela pode não se reeleger, mas que nesse mandato vai apresentar um projeto para por fim a estabilidade.

Gafe - Foi no mínimo deselegante o comportamento da Fiems (Federação da Indústria), que convidou a imprensa e autoridades estaduais para um almoço ontem, mas sequer arrumou lugares na mesa para os jornalistas. A reunião, marcada para meio-dia, demorou uma hora e meia, tempo em que repórteres e fotógrafos ouviram os discursos a base de água, enquanto o almoço rolava ao lado.

Sessão – Os vereadores não foram bem recebidos pelos moradores da Vila Nogueira, na manhã de ontem. A população foi à sessão comunitária e fez um discurso duro para cobrar melhorias para a região. A situação ficou tão tensa que teve vereador os acusando de serem manobra da oposição.

Estratégia – A oposição aposta no tempo para conseguir os votos necessários para aprovar a Comissão Processante para investigar o prefeito Gilmar Olarte (PP). Como não deve conseguir mudar o procedimento, PDT, PT e PPS devem suar muito para conseguir os 20 votos necessários para garantir a investigação.

Imagem - O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) evitou tirar uma fotografia com uma arma de brinquedo durante a quadrilha da Secretaria de Educação. “Já disseram por ai que em cinco meses de mandato, morreu muito bandido em Mato Grosso do Sul. Não vou tirar a foto com essa arma não”, justificou-se.

Incidente - No mesmo evento, uma servidora passou mal e teve de ser acionado o Corpo de Bombeiros que chegou ao local na hora em que o governador estava se despedindo dos servidores. Ela foi atendida e seguiu para fazer mais exames. A mulher saiu consciente.

Exemplo – Quando viu a funcionária passando mal, o governador pediu pra que assessores solicitassem o Corpo de Bombeiros. Reinaldo ainda cobrou atendimento rápido. Os militares prestaram um bom serviço e conseguiram atender de forma rápida, dentro da expectativa do chefe do Governo.

Diretores – Em meio a greve dos professores da rede municipal de ensino, diretores estão pedindo exoneração dos cargos. Na quarta-feira, os dirigentes de algumas escolas foram substituídos por outros pelo prefeito Gilmar Olarte, conforme o Diário Oficial de Campo Grande.

OAB – O advogado Afeife Mohamad Hajj, conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil, pode disputar o comando da entidade em Mato Grosso do Sul. Com o escritório em Dourados, ele passou a cumprir agenda na Capital para ampliar os contatos e construir uma chapa competitiva. Os advogados vão às urnas em novembro.

(colaboraram Priscila Peres, Leonardo Rocha e Juliana Brum)

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


É ai que você se engana Thiago, os comissionados não têm direito a FGTS, então com toda certeza caso os servidores percam a estabilidade também não terão este direito, e isto é tudo o que este governo quer, poder acabar com os concursados para encher de comissionados.
 
Marco em 25/06/2015 13:24:30
Ela quer acabar para poder prometer e distribuir cargos em campanha política, já que o funcionário que possui estabilidade não vai votar em promessas. Pior do que isso está nos argumentos dela, de que a estabilidade obriga o Estado a dar aumento aos funcionários, empresa privada também tem obrigação em dar aumento anual, o salário mínimo é reajustado anualmente, um absurdo essa alegação.
 
MELISSA em 25/06/2015 09:50:13
Até que fim, com isso os servidores públicos estaduais começarão a receber FGTS, o que é de direito de toda a pessoa que trabalha e tem o direito de receber, com isso quando chegar o tempo de aposentadoria terá uma solidez, pois quando aposenta, ficam com uma mão na frente e outra atrás.
 
Thiago em 25/06/2015 08:05:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions