A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


25/06/2015 06:00

Deputada quer acabar com estabilidade no serviço público

Edivaldo Bitencourt

Polêmica - Em evento realizado ontem, representantes do setor produtivo e do Governo do Estado deixaram claro que a estabilidade dos servidores estaduais é um problema para a gestão. Segundo eles, isso "engessa" as contas do governo, que é obrigado a dar reajustes anuais, plano de carreira e demais benefícios estabelecidos na Constituição.

Mudança - Mais do que se mostrar contra a estabilidade dos servidores públicos, as autoridades demonstraram que têm planos de mudar isso. O secretário de Governo, Eduardo Riedel, citou a deputada federal Tereza Cristina (PSB), que disse a ele que ela pode não se reeleger, mas que nesse mandato vai apresentar um projeto para por fim a estabilidade.

Gafe - Foi no mínimo deselegante o comportamento da Fiems (Federação da Indústria), que convidou a imprensa e autoridades estaduais para um almoço ontem, mas sequer arrumou lugares na mesa para os jornalistas. A reunião, marcada para meio-dia, demorou uma hora e meia, tempo em que repórteres e fotógrafos ouviram os discursos a base de água, enquanto o almoço rolava ao lado.

Sessão – Os vereadores não foram bem recebidos pelos moradores da Vila Nogueira, na manhã de ontem. A população foi à sessão comunitária e fez um discurso duro para cobrar melhorias para a região. A situação ficou tão tensa que teve vereador os acusando de serem manobra da oposição.

Estratégia – A oposição aposta no tempo para conseguir os votos necessários para aprovar a Comissão Processante para investigar o prefeito Gilmar Olarte (PP). Como não deve conseguir mudar o procedimento, PDT, PT e PPS devem suar muito para conseguir os 20 votos necessários para garantir a investigação.

Imagem - O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) evitou tirar uma fotografia com uma arma de brinquedo durante a quadrilha da Secretaria de Educação. “Já disseram por ai que em cinco meses de mandato, morreu muito bandido em Mato Grosso do Sul. Não vou tirar a foto com essa arma não”, justificou-se.

Incidente - No mesmo evento, uma servidora passou mal e teve de ser acionado o Corpo de Bombeiros que chegou ao local na hora em que o governador estava se despedindo dos servidores. Ela foi atendida e seguiu para fazer mais exames. A mulher saiu consciente.

Exemplo – Quando viu a funcionária passando mal, o governador pediu pra que assessores solicitassem o Corpo de Bombeiros. Reinaldo ainda cobrou atendimento rápido. Os militares prestaram um bom serviço e conseguiram atender de forma rápida, dentro da expectativa do chefe do Governo.

Diretores – Em meio a greve dos professores da rede municipal de ensino, diretores estão pedindo exoneração dos cargos. Na quarta-feira, os dirigentes de algumas escolas foram substituídos por outros pelo prefeito Gilmar Olarte, conforme o Diário Oficial de Campo Grande.

OAB – O advogado Afeife Mohamad Hajj, conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil, pode disputar o comando da entidade em Mato Grosso do Sul. Com o escritório em Dourados, ele passou a cumprir agenda na Capital para ampliar os contatos e construir uma chapa competitiva. Os advogados vão às urnas em novembro.

(colaboraram Priscila Peres, Leonardo Rocha e Juliana Brum)

Dagoberto mente, diz liderança do PDT
É fake – As última declarações do deputado federal e presidente do PDT em Mato Grosso do Sul, Dagoberto Nogueira, sobre os pedidos de expulsão do jui...
Adeus a "Playboy" tem foto de bebida na mesa de bar
Despedida – Tem gosto amargo e dolorido, principalmente para as pessoas próximas, a última foto postada nas redes sociais por Marcel Colombo, conheci...
Campanha, tiro na escola e oportunismo
“Guerra virtual” – Não podia ser diferente. O episódio lamentável em que uma criança de 9 anos entrou armada na sala de aula em Campo Grande e atirou...
Justiça agora pode até cobrar Delcídio
Ainda à espera - A Justiça Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Delcídio Amaral (PTC) ao Senado, depois da derrota nas uras. A juíza Eliza...


É ai que você se engana Thiago, os comissionados não têm direito a FGTS, então com toda certeza caso os servidores percam a estabilidade também não terão este direito, e isto é tudo o que este governo quer, poder acabar com os concursados para encher de comissionados.
 
Marco em 25/06/2015 13:24:30
Ela quer acabar para poder prometer e distribuir cargos em campanha política, já que o funcionário que possui estabilidade não vai votar em promessas. Pior do que isso está nos argumentos dela, de que a estabilidade obriga o Estado a dar aumento aos funcionários, empresa privada também tem obrigação em dar aumento anual, o salário mínimo é reajustado anualmente, um absurdo essa alegação.
 
MELISSA em 25/06/2015 09:50:13
Até que fim, com isso os servidores públicos estaduais começarão a receber FGTS, o que é de direito de toda a pessoa que trabalha e tem o direito de receber, com isso quando chegar o tempo de aposentadoria terá uma solidez, pois quando aposenta, ficam com uma mão na frente e outra atrás.
 
Thiago em 25/06/2015 08:05:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions