ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 17º

Jogo Aberto

Cabelo em ovo 2

Por Jogo Aberto | 09/12/2010 00:01

A experiência como economista e agente tributário, além da terceira melhor votação da Assembleia, devem conferir a Paulo Duarte (PT) um bom cargo na Mesa Diretora. Dizem que ele pode ficar com a 1ª secretaria e se tornar o homem que assina o cheque, incumbido ainda de organizar as finanças da Casa depois de tantos tumultos.

O ex-prefeito de Sidrolândia, Enelvo Felini, que é secretário executivo do diretório regional do PSDB, quer disputar novamente o comando da administração municipal. Com dois anos de antecedência, ele já fala como pré-candidato.

Farmácia que vende medicamentos para funcionários da Assembleia Legislativa, em um sistema de disque-entrega, levou um grande prejuízo com a não reeleição de alguns deputados. Desde novembro, a drogaria está sofrendo calotes. Funcionários foram embora da Casa de Leis sem pagar as dívidas.

Deputado federal eleito, Fábio Trad foi convidado para o jantar de ontem do PMDB com Lula e Dilma, mas não foi por um motivo nobre: seu aniversário de 20 anos de casamento. Brincando, disse que preferia faltar a “ser expulso de casa”.

O deputado Reinaldo Azambuja (PSDB) estará hoje em Brasília, em reunião com toda a bancada tucana que atuará nos próximos quatro anos. Na prática, será um momento dos mais experientes passarem os “bizus” para os novatos, que não conhecem os meandros da vida na Câmara.

Aliás, o também novato Márcio Monteiro esteve ontem consultando Azambuja sobre como funcionam os trabalhos na Assembleia. Tudo indica que ele vai ocupar o gabinete do colega tucano e até contratar seu assessor jurídico.

Os tucanos já definiram quem substituirá o não eleito Rinaldo Modesto na liderança do partido na Assembleia: Onevan de Matos. Resta saber que integrante do ninho vai brigar por vaga na Mesa Diretora.

Apesar de ter sido reeleito em votação recorde, com 820 mil votos (34,9% dos válidos), o senador Delcídio do Amaral (PT) não gostou dos números divulgados pela Justiça Eleitoral e entrou com uma representação alegando erro no cálculo do percentual. Ele sugeriu a duplicação dos votos, chegando a 69,8%. O TSE rejeitou o pedido afirmando que se assim fosse, os “percentuais obtidos somados totalizariam 200% e não 100% como esperado”.

Companheiro do candidato derrotado Zeca do PT, o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) usou a criatividade para pedir a suspensão da diplomação do governador reeleito André Puccinelli. Em petição ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral), ele alegou que o governador estaria inelegível por não ser brasileiro nato. Faltou Dagoberto ler a Constituição Federal.

De acordo com a Constituição, os cargos privativos de brasileiros natos são de presidente e vice, presidente da Câmara dos Deputados e do Senado, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), da carreira diplomática, oficial das Forças Armadas e Ministro da Defesa. André Puccinelli nasceu em Viaregio (Itália), mas veio para o Brasil com menos de um ano é naturalizado brasileiro.