A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


26/04/2016 06:00

Governo pede diálogo e responsabilidade a servidores

Waldemar Gonçalves

Diálogo e responsabilidade – A ordem no governo estadual, com relação à campanha salarial do funcionalismo, é dialogar e se manter dentro do limite da responsabilidade fiscal. Algumas categorias têm colocado a faca no pescoço do Executivo, que promete manter a negociação nos limites do possível. O governo propõe abono linear de R$ 200 nos salários dos servidores e já tem o apoio de boa parte deles.

Sem falsa promessa – O governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), voltou a falar da questão envolvendo os servidores ontem: “não podemos prometer algo que depois você não consiga cumprir e levar o Estado ao não pagamento ou atraso do salário, como hoje é a situação de praticamente a metade dos estados do País”.

Incertezas – Reinaldo também falou que o cenário econômico atual é de incerteza. “Não sabemos se o País volta a crescer ou não, mas no limite da responsabilidade nós vamos até o fim”. Ainda conforme reforçou o governador, não se trata apenas de uma agenda de governo, mas de uma atitude de responsabilidade.

Confiante – O ex-governador André Puccinelli (PMDB) está confiante com a candidatura do deputado Renato Câmara (PMDB) em Dourados. Disse que pode ocorrer uma reviravolta, assim como já aconteceu outras vezes em Campo Grande. “Podemos virar o jogo”. O parlamentar deve enfrentar o ex-companheiro de partido, o deputado federal Geraldo Resende, que migrou para o PSDB na janela partidária.

Em acordo – Outra declaração de Puccinelli, de que o PMDB tem um acordo com o PSB visando as eleições deste ano, pode prevalecer também em Dourados. Embora o prefeito, Murilo Zauith (PSB), esteja decidido a manter uma neutralidade oficial no pleito, seu grupo político já trabalha pela candidatura do deputado peemedebista Renato Câmara.

Não é meu – Puccinelli ainda brincou sobre boatos de que um Uno vermelho, que caiu no Córrego Bálsamo no fim de semana, fosse o seu famoso veículo, apelidado de “Ferrari”. Disse que até mandaram mensagens para ele perguntando se era verdade, mas o carro estava bem guardado no seu escritório político. André, inclusive, foi com o tal Uno a reunião do PMDB, ontem, para comprovar o fato.

Lixo e saúde – O objetivo era discutir saneamento básico, porém, audiência pública na segunda-feira (25) acabou concentrando debates sobre os problemas no lixão de Campo Grande. Dar um lar e trabalho às famílias da Cidade de Deus virou questão de saúde pública. “Falta vontade política, planejamento e competência de gestão”, disse o vereador João Rocha (PSDB), presidente da Câmara Municipal.

Obras paradas – Questionado sobre as frequentes visitas a obras abandonadas em Campo Grande, Rocha informou que a Câmara Municipal pediu à Caixa Econômica Federal um balanço dos recursos enviados à Prefeitura para estes projetos parados. Tudo isso para compor a denúncia que o Legislativo pretende enviar ao Ministério Público.

Guerra e paz – Em relação à guerra travada entre Executivo e Legislativo, em Campo Grande, o arcebispo da Capital, dom Dimas Lara Barbosa, tem orado para que as forças públicas “se dêem as mãos pelo bem do povo”. Porém, ele admite achar difícil que a coisa caminhe quando começar o período eleitoral. “O momento é delicado”, pondera o religioso.

Decisão do partido – O secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel, disse ontem que respeitará a decisão do PSDB sobre a definição da candidatura à Prefeitura de Campo Grande. Ele e a vice-governadora, Rose Modesto, são cogitados para a disputa. A decisão deve sair ainda nesta semana. Riedel destaca que os perfis são diferentes e que não brigará internamente. Há quem diga que a escolha de Rose já está definida.

(com a redação)

Crise da JBS rouba atenção de Temer
Foco na JBS - No Governo do Estado, a vinda do presidente Temer a Mato Grosso não teve a mobilização típica de visitas anteriores de presidentes. Na ...
Temer oscilou sobre decisão de vir para agenda em MS
Às pressas – A vinda do presidente Michel Temer para Mato Grosso do Sul neste sábado foi confirmada em cima da hora. A coluna apurou que tudo indicav...
Detran de MS avalia adesão a parcelar multa no cartão
Ainda não sabemos – O Detran de Mato Grosso do Sul avalia se vai fazer convênios que permitam parcelamento de multas no cartão de crédito. A autoriza...
Delcídio foi "fantasma" em sessão que manteve Aécio
Lembrado – O ex-senador e ex-petista Delcídio do Amaral está longe do Senado desde maio de 2016, quando foi cassado, mas nesta terça-feira foi bastan...



Concordo com o Governador, no entanto, esses sacrifícios e responsabilidades tem que partir dos dois lados. Ora, o governo contratou publicidade e propaganda por 6 meses gastando, nada mais nada menos, que R$ 35.000.000,00 (milhões). Como explicar isso, basta observar as aparições do governo, diga-se de passagem, somente em horários nobres. Não aguento mais ouvir falar de "caravana da saúde e rota do desenvolvimento".
Agora vem com essa de responsabilidade!
 
TOYOSHI SATO em 26/04/2016 21:18:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions