A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


02/07/2015 06:00

Senador pede R$ 2 milhões por ofensa no Facebook

Edivaldo Bitencourt

Cortesia com chapéu alheio - Os vereadores de Campo Grande, liderado por Edil Albuquerque (PMDB), retiraram 20 hectares do patrimônio territorial da cidade para doar as empresas de ônibus. O município ficou mais pobre, mas os empresários economizaram alguns milhões e vão continuar lucrando alto.

Indenização milionária – O senador Delcídio do Amaral (PT), líder do Governo no Senado, ingressou com pedido de indenização contra o pecuarista Alfredo Zmalutti Neto. Ele cobra R$ 2 milhões por ofensas feitas no Facebook. O caso é julgado peal Justiça em Campo Grande.

Nova fonte – O Facebook vem se transformando em uma nova fonte de ações na Justiça. Em outra frente, as vítimas também recorrem à polícia para denunciar crime de calúnia e difamação. Outro que elevou o número de processos nos tribunais é o aplicativo WhatsApp.

Maioridade polêmica – Uma promotora de Justiça, que teve o sobrinho menor de idade envolvido em grave acidente de trânsito, postou comentário em defesa da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Se a lei tivesse mudado, o parente da agente da Justiça iria parar dentro de um presídio e cumpriria pena como adulto.

Divergência – O deputado estadual Felipe Orro tem esperanças de que a eleição do adversário, deputado federal Dagoberto Nogueira, não será homologada como presidente estadual do PDT. Ele disse que Carlos Lupi, presidente nacional, vai buscar um entendimento antes de homologar o resultado.

Opção – Felipe Orro, que sonha em ser o candidato a prefeito de Campo Grande em 2016, quer dividir o comando do partido com Dagoberto. Ele explicou que esta alternativa o garante na sigla. Ele mantém a proposta de sair do partido se não houver mudança.

Calmo – O deputado estadual George Takemoto (PDT), que faz parte da chapa de Dagoberto, não está preocupado com o cancelamento da eleição. Ele acredita que a direção nacional vai homologar a eleição de Dagoberto.

Quase – O Governo estadual ainda não enviou o projeto que define a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2016. Os deputados estaduais só poderão entrar em recesso após a aprovação da LDO.

Ajuste – O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) prometeu concluir a LDO ainda nesta semana. Ele destacou que falta definir alguns detalhes do projeto, que vai estimar o orçamento do Estado para o próximo ano e o percentual do repasse aos poderes.

Finalmente – O secretário estadual de Administração, Carlos Alberto Assis, anuncia, na próxima semana, o balanço geral do cadastro dos servidores públicos estaduais. Ele vai traçar o perfil do funcionalismo público estadual. Entre os cedidos, o recadastramento não encontrou nenhuma irregularidade.

(colaborou Leonardo Rocha e Paula Maciulevicius)

Temer oscilou sobre decisão de vir para agenda em MS
Às pressas – A vinda do presidente Michel Temer para Mato Grosso do Sul neste sábado foi confirmada em cima da hora. A coluna apurou que tudo indicav...
Detran de MS avalia adesão a parcelar multa no cartão
Ainda não sabemos – O Detran de Mato Grosso do Sul avalia se vai fazer convênios que permitam parcelamento de multas no cartão de crédito. A autoriza...
Delcídio foi "fantasma" em sessão que manteve Aécio
Lembrado – O ex-senador e ex-petista Delcídio do Amaral está longe do Senado desde maio de 2016, quando foi cassado, mas nesta terça-feira foi bastan...
"Nem a pau", diz Correa sobre desistir de ação contra JBS
Negativo - “Nem a pau”. Essa foi a reação do presidente da CPI da JBS, Paulo Correa (PR), à cogitação de retirar a ação contra a empresa, para preser...



Entrar na justiça pra pedir qualquer absurdo é normal. Nada demais.
 
Cyro Escobar Ribeiro Neto em 02/07/2015 09:44:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions