A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


02/07/2015 06:00

Senador pede R$ 2 milhões por ofensa no Facebook

Edivaldo Bitencourt

Cortesia com chapéu alheio - Os vereadores de Campo Grande, liderado por Edil Albuquerque (PMDB), retiraram 20 hectares do patrimônio territorial da cidade para doar as empresas de ônibus. O município ficou mais pobre, mas os empresários economizaram alguns milhões e vão continuar lucrando alto.

Indenização milionária – O senador Delcídio do Amaral (PT), líder do Governo no Senado, ingressou com pedido de indenização contra o pecuarista Alfredo Zmalutti Neto. Ele cobra R$ 2 milhões por ofensas feitas no Facebook. O caso é julgado peal Justiça em Campo Grande.

Nova fonte – O Facebook vem se transformando em uma nova fonte de ações na Justiça. Em outra frente, as vítimas também recorrem à polícia para denunciar crime de calúnia e difamação. Outro que elevou o número de processos nos tribunais é o aplicativo WhatsApp.

Maioridade polêmica – Uma promotora de Justiça, que teve o sobrinho menor de idade envolvido em grave acidente de trânsito, postou comentário em defesa da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Se a lei tivesse mudado, o parente da agente da Justiça iria parar dentro de um presídio e cumpriria pena como adulto.

Divergência – O deputado estadual Felipe Orro tem esperanças de que a eleição do adversário, deputado federal Dagoberto Nogueira, não será homologada como presidente estadual do PDT. Ele disse que Carlos Lupi, presidente nacional, vai buscar um entendimento antes de homologar o resultado.

Opção – Felipe Orro, que sonha em ser o candidato a prefeito de Campo Grande em 2016, quer dividir o comando do partido com Dagoberto. Ele explicou que esta alternativa o garante na sigla. Ele mantém a proposta de sair do partido se não houver mudança.

Calmo – O deputado estadual George Takemoto (PDT), que faz parte da chapa de Dagoberto, não está preocupado com o cancelamento da eleição. Ele acredita que a direção nacional vai homologar a eleição de Dagoberto.

Quase – O Governo estadual ainda não enviou o projeto que define a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2016. Os deputados estaduais só poderão entrar em recesso após a aprovação da LDO.

Ajuste – O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) prometeu concluir a LDO ainda nesta semana. Ele destacou que falta definir alguns detalhes do projeto, que vai estimar o orçamento do Estado para o próximo ano e o percentual do repasse aos poderes.

Finalmente – O secretário estadual de Administração, Carlos Alberto Assis, anuncia, na próxima semana, o balanço geral do cadastro dos servidores públicos estaduais. Ele vai traçar o perfil do funcionalismo público estadual. Entre os cedidos, o recadastramento não encontrou nenhuma irregularidade.

(colaborou Leonardo Rocha e Paula Maciulevicius)

Após "perder" cargo, deputado muda o tom
Mudou – Antes cotado para assumir uma secretaria do governo do Estado, o deputado Coronel David (PSC) está agindo ultimamente como oposição ao Govern...
Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...


Entrar na justiça pra pedir qualquer absurdo é normal. Nada demais.
 
Cyro Escobar Ribeiro Neto em 02/07/2015 09:44:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions