ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  30    CAMPO GRANDE 37º

Arquitetura

Em vasos, é possível ter frutíferas e decorar até a sacada de casa

De jabuticaba, laranja e até abacaxi, que tal usar as plantas para ornamentar o espaço e ainda aproveitar para saborear os frutos?

Por Alana Portela | 14/08/2020 06:41
A Laranja kinka plantada em vaso é uma opção para ter em casa. (Foto: Arquivo pessoal/ Eliane Oliveira)
A Laranja kinka plantada em vaso é uma opção para ter em casa. (Foto: Arquivo pessoal/ Eliane Oliveira)

Já pensou decorar sua casa com plantas frutíferas em vasos? Pois é, isso possível sim e tem várias espécies que podem ser usadas para tornar o ambiente mais charmoso, principalmente as jabuticabeiras, laranjeiras e até abacaxi. Além da decoração, também dá para aproveitar os frutos cultivados por você mesmo.

“Uma casa com planta faz toda a diferença e além de dar os frutos, também traz pássaros, borboletas e outros benefícios, como tornar o ambiente mais alegre”, afirma a paisagista Eliane de Oliveira. Para ela, as frutíferas em vasos também são boas opções para decorar as sacadas e varandas de casas e apartamentos.

“Hoje, os jardins estão ficando cada vez menores e as pessoas precisam usar a criatividade para decorar. Tem que ter em mente o tamanho do local, o tipo de planta”, diz. Outro detalhe importante é saber onde vai deixar o vaso, pois a planta necessita de iluminação. “Dentro de casa não consegue, mas numa sacada de apartamento onde ela vai receber sol é possível. É preciso estar numa área ensolarada e ventilada”.

A jabuticabeira é uma boa aposta para decorar a sacada. (Foto: Arquivo pessoal/ Eliane Oliveira)
A jabuticabeira é uma boa aposta para decorar a sacada. (Foto: Arquivo pessoal/ Eliane Oliveira)

Dentre algumas opções de frutíferas indicadas para plantar em casa, Eliane elenca a jabuticabeira. “A jabuticaba é uma fruta boa porque tem a parte ornamental e é uma planta de mais fácil cultivo”, comenta. Além disso, outras espécies indicadas pela paisagista são: laranjeira, goiabeira e limoeiro.

Aos que pensam que cultivar uma planta comum é menos difícil do que uma frutífera, Eliane esclarece. “Planta em geral exige cuidado. No vaso, não teria um desenvolvimento grande, como plantada no chão. Mas, precisa cuidar, limpar, adubar, etc”.

Mais opções – Falar de frutíferas em vasos até causa espanto, porém o gestor em agronegócio e instrutor do Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), Lucas Teixeira Pereira desmistifica o tema e explica como tudo é possível, e ainda ensina como escolher, preparar e cuidar dessas belezuras.

Laranja kinka em vaso. (Foto: Arquivo pessoal/ Eliane Oliveira)
Laranja kinka em vaso. (Foto: Arquivo pessoal/ Eliane Oliveira)

“Quando a gente pensa em frutíferas em vasos até assusta, pois geralmente são árvores grandes e o questionamento é sempre como fazer para ter em vaso. Mas, para isso, é preciso que a planta seja de porte pequeno ou médio”.

Normalmente esse tipo cultivo é realizado em área urbana justamente por não ter espaço onde plantar. No entanto, para que a plantação dê certo, também é preciso ficar atento a alguns fatores, como clima, espaço, espécie, tamanho, vaso, adubação e manejo.

Um ponto que diferencia a frutífera plantada em vaso da que é cultivada no solo, é a produtividade “Produz menos frutos, seria mais uma produção para cultivo próprio”, diz Lucas. Aqueles que tiverem pensando em cultivar uma frutífera em casa, precisam escolher uma espécie adequada. “Tem a possibilidade de cultivar o que preferir, porém, existem algumas mais adaptadas para o cultivo em vasos, pois dão menos trabalhos, exigem menos cuidados e não necessitam de podas frequentes”.

Lucas Teixeira Pereira cuidando da frutífera em vaso. (Foto: Arquivo pessoal)
Lucas Teixeira Pereira cuidando da frutífera em vaso. (Foto: Arquivo pessoal)

Uma opção é o abacaxi, por ser porte pequeno e ter traços ornamentais como da bromélia. “Tem uma estética bem similar e consegue ornamentar o ambiente”, comenta. Mais uma indicação é a amora. “Essa pelo porte, sabor e produção rápida. Para produzir uma muda de amora é utilizada a técnica de estaquia, quando vamos até a planta, retiramos um pedaço do galho e depois plantamos. Ela enraíza, se desenvolve, dá flor e daqui a pouco frutos”.

O pé de romã também entra para a lista dos queridinhos. “É o favorito por conta do porte e da estética, pois as flores são bonitas. Além disso, é uma fruta medicinal, muito usada para chás naturais que ajudam a melhorar até dor de garganta”, destaca Lucas.

Romã em vaso também é mais uma opção de frutífera. (Foto: Arquivo pessoal)
Romã em vaso também é mais uma opção de frutífera. (Foto: Arquivo pessoal)

A acerola com folhas pequenas e as frutas vermelhas é outra aposta certa para decorar a casa e ainda aproveitar para fazer o suco da fruta. “Os cítricos no geral, limão, laranja, ponkan e outras, são boas opções”. A pitanga também caiu no gosto da galera. “Uma das preferidas, por ocupar pouco espaço. É nativa da floresta amazônica, então está adaptada ao sombreamento e não precisa receber muita luz solar”.

Mais frutíferas indicadas para ter em vaso são: figo, mamão e o morango. “Esse ultrapassa 30 centímetros de altura, é bastante sensível e tem que se atentar ao clima. Mas, existem variedades adaptadas às condições climáticas mais elevadas”.

Como fazer – Lucas ainda ensina o que é preciso fazer para conseguir cultivar uma frutífera em vaso. O primeiro passo é a escolha da espécie que deseja ter, depois pense onde essa planta poderá ficar. “Precisa receber luz solar para fazer o processo de fotossíntese, para manter-se bonita e desenvolver bem”.

Outro ponto importante é o tamanho do vaso que será utilizado no cultivo. “A raiz fica limitada. O menor vaso que se pode usar é com capacidade de 20 litros para plantas de até 1 metro de altura. Para aquelas de 1,5 metros tem que ter a capacidade de 30 litros e assim por diante. As que ultrapassam 4 metros, capacidade de 100 litros”.

Os galhos do pé de Romã, com flor e fruto. (Foto: Arquivo pessoal)
Os galhos do pé de Romã, com flor e fruto. (Foto: Arquivo pessoal)

A preparação desse vaso é mais um detalhe para que o cultivo funcione. “Alguns já vem com o fundo perfurado e é preciso fazer a drenagem, que pode ser feita com materiais específicos ou alternativos”.

O específico é com argila e manta bidim, no qual primeiro coloca uma camada da manta no fundo do recipiente, em seguida passa argila e na sequência acrescenta mais uma camada da manta. O alternativo pode ser feito com caco de tijolo ou telha. “Um desses materiais podem substituir a argila. Já a manta pode ser substituída por uma camiseta velha, desde que seja um tecido permeável”, explica.

Adubação e plantação – Depois de decidir a espécie e onde a planta vai ficar, é a vez de se preocupar com a escolha da terra para o plantio. Essa é mais uma das variedades que será necessária decidir na hora de plantar. “A terra preta, por conta da coloração é rica em matérias orgânicas. A vermelha é comum em Campo Grande, mas o problema é o fato de ser muito argilosa, compacta fácil e pode ficar com torrão o que dificulta o desenvolvimento da raiz”. Tem até um mix vegetal que pode ser usado no processo.

Além do plantio, também é necessário realizar a adubação frequente, para que as plantas tenham sempre os nutrientes minerais benéficos para desenvolver bons frutos. “A irrigação é outro ponto, mas a quantidade de água depende do tamanho do vaso. Observe como está o grau de umidade do substrato da terra, pois tem que estar constantemente úmido. No entanto, não irrigue demais, pois pode atrapalhar”, ressalta Lucas.

As flores das frutíferas contribuem para a decoração do espaço. (Foto: Arquivo pessoal)
As flores das frutíferas contribuem para a decoração do espaço. (Foto: Arquivo pessoal)

Produção – Algumas plantas frutíferas são rápidas para darem frutos, mas isso depende da espécie e também da origem da muda. “As plantas produzidas por produção assexuada, reproduzem mais rápido. As mudas obtidas pela germinação por semente, demora mais, pode até levar anos”, afirma o instrutor do Senar.

O desenvolvimento do maracujá é mais rápido. “Leva de 8 a 10 meses, se for bem cuidada”, declara Lucas. Geralmente, as plantas que passam pelo processo de enxertia evoluem depressa. “Esse é quando uma muda convencional, tipo limão, plantada por semente. Faz o enxerto, retirando um galho adulto de outro e enxertando nesse. Demora um tempo para pegar, mas reproduz rápido também”.

Manejo diário – Para se ter uma planta em casa também é necessário ter alguns cuidados frequentes, principalmente para manter a harmonia do ambiente. Por isso, é bom estar podando os galhos. “Está associado a estética, dá para colocar num corredor lateral, onde não deve atrapalhar tanto. Tem a poda de formação, que faz durante o desenvolvimento da espécie até deixar no tamanho que prefere”.

As romãs quase prontas para serem colhidas. (Foto: Arquivo pessoal)
As romãs quase prontas para serem colhidas. (Foto: Arquivo pessoal)

Outro cuidado é a poda de produção, que contribui para a produtividade da planta. Tem ainda a poda de limpeza, para retirar os galhos velhos, doentes e eliminar pragas. “São várias pragas e doenças diferentes que podem surgir, é preciso ter um conhecimento para identificar o que é e assim tomar medidas”.

A principal vantagem de ter uma frutífera plantada em vaso é produção orgânica dos frutos. “Dentro da área urbana não é autorizado o uso de produtos químicos, então quanto mais natural melhor”.

Apesar da orientação geral ser a de cultivar em área aberta aberta, com iluminação, o gestor de agronegócio afirma que é possível sim cultivar algumas frutíferas dentro da residência. “Tem essa possibilidade em espaços pequenos, desde que utilize plantas de pequeno porte como o abacaxi, figo, moranguinho, cajá-manga, etc”, finaliza.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Regras de comentário