ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 26º

Artes

Lobinha do Bioparque ganha nome de Delinha, eterna “Dama do Rasqueado”

A loba, também chamada de cachorro-do-mato, é a primeira espécie de mamífero do Bioparque Pantanal

Por Gabriel de Matos e Antonio Bispo | 23/11/2023 12:49
Lobinha está em um recinto adaptado para garantir conforto, bem-estar e qualidade de vida (Foto: Eduardo Coutinho)
Lobinha está em um recinto adaptado para garantir conforto, bem-estar e qualidade de vida (Foto: Eduardo Coutinho)

A nova moradora do Bioparque Pantanal agora tem nome e homenageia uma das maiores cantoras de Mato Grosso do Sul. Delinha é a primeira espécie de mamífero no local. O anúncio foi nesta quinta-feira (23).

A equipe do Bioparque guardou em segredo o nome da homenageada. Resgatada órfã em Nova Andradina, com apenas dois meses de vida, a "lobinha do rasqueado" não poderá voltar à natureza. Ela cresceu no Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) em Campo Grande e por ter se adaptado com presença de humanos será a nova embaixadora da educação ambiental.

O filho da eterna 'Dama do Rasqueado', João Paulo Pompeu exaltou gratidão com a homenagem à mãe que faleceu em 2022.

"Agora está eternizado aqui como uma lobinha, lobo é sempre um animal que chega com todos. Minha mãe era assim, olhava por todos. Nunca quis cobrar direito autoral. Para nós, é uma alegria."

Loba Delinha caminhando pelo seu habitat no Bioparque Pantanal (Foto: Antonio Bispo)
Loba Delinha caminhando pelo seu habitat no Bioparque Pantanal (Foto: Antonio Bispo)

A diretora do Bioparque Pantanal, Maria Fernanda Balestieri, explicou que o ambiente onde a lobinha viverá foi adaptado. "Tem que ver o tamanho, o porte do animal para ver se a gente tinha condições. Então, a gente fez adaptações no tanque, equipamos funcionários para que ela tenha conforto e qualidade de vida aqui".

Ela complementou que a Delinha faz parte de um programa para conscientizar a população e os frequentadores do Bioparque sobre o cuidado com o meio ambiente. "É uma sementinha que estamos plantando e conecta com a cultura pela Delinha".

O secretário de Governo, Pedro Caravina, destacou a proteção à fauna de Mato Grosso do Sul. "Trazer a Delinha para cá é dar a oportunidade para que crianças conheçam e protejam a nossa fauna. Aqui no Estado ela é muito rica e precisamos cuidar".

Caravina citou ainda que foi uma avaliação com total responsabilidade do Cras e da equipe do Bioparque para decidir pela vinda ou não de Delinha para o novo habitat. O secretário finalizou que a homenagem configura uma parceria do Cras, Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) com a Fundação de Cultura.

"Nós estamos falando da história da nossa cantora, da nossa dama do rasqueado. Dentro desse trabalho de educação ambiental, destacando o nome dela para todos os visitantes que vêm ao Bioparque", exaltou Caravina.

Faixa da placa de identificação é inaugurado para nova moradora (Foto: Antonio Bispo)
Faixa da placa de identificação é inaugurado para nova moradora (Foto: Antonio Bispo)

A coordenadora do Cras, Aline Duarte, explicou que a única certeza é que Delinha é um filhote órfão e que chegou em outubro de 2021 para os cuidados do centro de reabilitação. "Esse animal acabou perdendo as características que são importantes para conviver no habitat natural. A gente viu que era um risco voltar à natureza. O Cras tinha objetivo de achar um local que apresentava infraestrutura necessária para recebê-la".

Uma das cuidadoras de Delinha será a bióloga Carla Kowaski. Ela detalhou como será o cuidado com a nova moradora do Bioparque. "O objetivo é que ela fique com a gente o máximo de tempo possível. Os cuidados eles exigem protocolos sanitários, protocolos nutricionais de bem-estar animal, então tem toda uma equipe envolvida de biólogos veterinários ou tecnistas que vão aplicar todos os cuidados diariamente para que a Delinha consiga ficar bem nutricionalmente, bem de saúde, de comportamento".

A bióloga complementou que Delinha terá uma 'agenda cheia' para que não fique ociosa no Bioparque. "Não é um animal que costuma ficar sozinho. Eles andam em casal, tem a questão dos períodos reprodutivos, eles têm os parceiros". Carla não descartou a possibilidade de ter mais um lobinho para fazer companhia a Delinha.

Novo viveiro da lobinha Delinha no Bioparque Pantanal (Foto: Antonio Bispo) 
Novo viveiro da lobinha Delinha no Bioparque Pantanal (Foto: Antonio Bispo)
Sorriso de Delinha ao ser ver nas telas do cinema, em 2016 (Foto: Arquivo Campo Grande News/Alcides Neto) 
Sorriso de Delinha ao ser ver nas telas do cinema, em 2016 (Foto: Arquivo Campo Grande News/Alcides Neto)

Dama do Rasqueado - A cantora Delanira Pereira Gonçalves faleceu aos 85 anos. Grande embaixadora da cultura sul-mato-grossense, Delinha ficou conhecida carinhosamente como a "Dama do Rasqueado" pelo talento nos palcos que arrastava multidões para os bailes. A chamamezeira nasceu em Vista Alegre, distrito de Maracaju, em 7 de setembro de 1936.

Ela se mudou com os pais para Campo Grande quando tinha 8 anos de idade e foi morar na então casinha de madeira, no Bairro Amambaí, onde viveu até seus últimos dias.

Pequenininha, cantava “A Jardineira”, música de Orlando Silva, o que levou sua mãe a colocar no coral da Igreja Perpétuo Socorro, na qual ela cantou até depois de noiva. Em 1968, perdera o pai e 18 anos depois a mãe, vítima de câncer.

Por causa da música, conheceu Délio, seu companheiro em mais de 50 anos de carreira. Os dois se casaram em 1958 e ficaram conhecidos como o “casal de onças do Mato Grosso”. A dupla gravou 19 LPs, 2 Compactos, 14 78 rotação, 4 CD's e 2 DVD's; são a dupla e os artistas sul-mato-grossenses com a maior discografia da história do Estado com 32 títulos. Ela se separou e depois casou-se com Jairo Barbosa. Ela perdeu os dois maridos. Depois disso, seguiu carreira solo.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias