ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 31º

Comportamento

Bar curioso de um baiano vende roupa, cachaça e até cabeça de pacu

Aos 72 anos, proprietário cuida do lugar que é mistura de bar e brechó com muitas peças curiosas

Por Jéssica Fernandes | 24/04/2024 07:28
No Bairro Panorama, venda tem de peixe a roupas para vender. (Foto: Alex Machado)
No Bairro Panorama, venda tem de peixe a roupas para vender. (Foto: Alex Machado)

Cabeça de pacu, roupas, molho de pimenta e pele de porco são alguns dos itens que Marcelino Pereira, de 72 anos, vende a partir de R$ 3 e, às vezes, até de graça. O lugar, que é uma mistura de bar, brechó e peixaria, desperta curiosidade pela infinidade de produtos.

Passando pela rua, a placa ‘Temos cabeça de pacu e pele de corpo’ chamam atenção, pois logo atrás estão várias roupas penduradas no varal. As peças compõem o cenário onde também está uma mesa de bilhar e o senhor sentado na cadeira

Natural da Bahia, Marcelino veio para Mato Grosso do Sul em 1984.  Desde então, ele vive no Bairro Panorama. “Gostei daqui e daqui não saio”, declara. Sentado na cadeira ouvindo a música que vem do jukebox, o dono do bar convida a reportagem para ocupar as cadeiras livres que o cercam.

Marcelino Pereira, de 72 anos, é proprietário do lugar. (Foto: Alex Machado)
Marcelino Pereira, de 72 anos, é proprietário do lugar. (Foto: Alex Machado)

Há anos, o baiano administra o local onde a bebida é o ‘carro-chefe’ e o que mais atrai a clientela. “Aqui sai mais a cervejinha, esses panos eu quase não vendo”, diz.

Calças jeans, vestidos, shorts e camisas são algumas das peças que preenchem dois varais no quintal. Outros tecidos, como mantas e cobertores estão espalhados pelo lugar. Questionado sobre o preço das roupas, Marcelino brinca. “É de graça. Quem quiser vem, pega e leva”, afirma.

Além das roupas, ele também tem uma coleção de sapatos à venda. Em cima da mesa, a quantidade de tênis e sandálias espalhadas indicam que os itens também não tem muita saída.

Sapatos infantis e adultos dividem espaço na mesa de madeira. (Foto: Alex Machado)
Sapatos infantis e adultos dividem espaço na mesa de madeira. (Foto: Alex Machado)
No varal, roupas saem praticamente 'de graça' para os clientes. (Foto: Alex Machado)
No varal, roupas saem praticamente 'de graça' para os clientes. (Foto: Alex Machado)

Após conversar sobre os clientes, há quanto tempo tem o empreendimento e que ninguém que frequenta o bar dá trabalho, Marcelino mostra a parte interna e a prateleira das bebidas. Próximo a elas está o freezer onde fica armazenada a pele de porco. “Serve pra botar no feijão”, diz o vendedor.

Apesar de ter um bom estoque da pele de animal, as cabeças de pacu estão em falta. A parte do peixe, ao contrário das roupas, nunca ficam paradas tempo demais, pois sempre tem alguém disposto a comprar.

O negócio de Marcelino é bem curioso pelas aleatoriedades que compõem o cenário. Enquanto a jukebox mostra que tem funcionalidade, a máquina de garapa virou item decorativos após estragar. A garapeira é usada para apoiar um quadro pintado pela neta e vários outros bonecos.

No lugar onde se vende de tudo, o senhor faz questão de sempre oferecer um copo de cachaça ao cliente.

Na área interna são guardadas coleção de pimenta caseira. (Foto: Alex Machado)
Na área interna são guardadas coleção de pimenta caseira. (Foto: Alex Machado)
Cachaças de todas as marcas são vendidas a partir de R$ 3. (Foto: Alex Machado)
Cachaças de todas as marcas são vendidas a partir de R$ 3. (Foto: Alex Machado)

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News

Siga o Lado B no WhatsApp, um canal para quebrar a rotina do jornalismo de MS! Clique aqui para acessar o canal do Lado B e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias