ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 21º

Comportamento

Evangélicos daqui começam aderir ao Faceglória, onde cada curtida é um amém

Por Paula Maciulevicius | 10/06/2015 06:12
Num misto de Facebook com resquícios do falecido Orkut, inventaram agora o "Faceglória".
Num misto de Facebook com resquícios do falecido Orkut, inventaram agora o "Faceglória".

Quando a gente acha que já viu de tudo... A internet sempre surpreende, sempre. Num misto de Facebook com resquícios do falecido Orkut, inventaram agora o "Faceglória". Entrei para ver qual era a do negócio, a tal rede social cristã. 

De cara, um céu entre nuvens anunciam "Faceglória, a rede social perfeita para você compartilhar o amor e a sabedoria cristã com outras pessoas". Em tons azul e branco você se cadastra normalmente. Preenche e-mail, login, cria uma senha e é obrigatório por foto.

De trilha sonora para a navegação pelos versos bíblicos, que resumem a maioria das postagens, um quadradinho do lado direito anuncia a sequência de músicas. Todas gospel, que mostram também quantas pessoas estão ouvindo aquela canção e quantos 'améns' ela recebeu.

Isso mesmo. O "curtir" no Faceglória foi substituído pelo "amém". Criado por brasileiros, o único idioma disponível é o português. O lançamento foi no início deste mês, paralelo à Marcha para Jesus, realizada no último dia 4 em São Paulo.

Em entrevistas a jornais nacionais, uma das fundadoras, Átilla Barros, crê que em cinco anos, vai acontecer com o Facebook o que houve com o Orkut.

Uma das montagens que circulam pela rede.
Uma das montagens que circulam pela rede.

Não há nenhuma pergunta sobre religião ou sexualidade na hora de se cadastrar. E nas matérias veiculadas na rede nacional, Átilla também afirma que homossexuais e adeptos de outras religiões são aceitos e que a rede social não vai segregar ninguém, mas vai funcionar com uma certa restrição de conteúdo. Limitação esta que inclui pornografia, palavrão, fotos de bebidas, drogas, cenas de violência e beijo gay. No entanto, não tem nenhum texto explicando as "regras" da rede evangélica publicamente. 

Aqui em Campo Grande a rede dos evangélicos é pouco conhecida. A estudante Isabela Oliveira, de 15 anos, entrou há três dias, depois de receber o link através de um grupo de amigos do WhatsApp do estado vizinho, de Mato Grosso. "O Faceglória é muito melhor que o Facebook, porque o segundo sempre tem algumas postagens não muito adequadas e que não dependem só da gente. No Faceglória não, só posts evangélicos e mensagens cristãs", explica a adolescente.

Até para quem é do meio evangélico, o "amém" surpreende e é motivo de riso. Na rede social dos cristãos, Isabela postou apenas uma mensagem sobre relacionamentos. O que acredita que será um dos temas predominantes. "Eu já vi posts falando sobre homossexualidade, o caso da parada gay, mas o que mais chama atenção é sobre namoro, casamento, porque o Faceglória tem muitos jovens mesmo", opina.

Até a tarde dessa terça-feira, Isabela não tinha amigos de Campo Grande. Os pedidos de amizade funcionam como o Instagram, onde você pede para seguir. A adolescente não pretende trocar um face pelo outro, devido aos contatos que a rede original preserva.

"Entrei mais pela curiosidade e com o intuito de poder comparilhar pensamentos que eu gosto. E até agora tem sido bem legal, só mensagens bíblicas", observa.

Algumas horas no Faceglória e dá para constatar o teor das mensagens. De manhã é aquela enxurrada de "bom dias", com frases de Deus abençoe e afins. Tem também quem dá às boas vindas para todos. "Que este seja um lugar virtual para compartilharmos a palavra, o amor e sabedoria do nosso Pai e Deus. De todas as maneiras permitida por ELE. Seja através da música, arte ou palavras..."

Montagens são o que mais circulam pelos perfis, uma delas destaca que "eu e meu Faceglória serviremos ao senhor", até as polêmicas, que usam versos bíblicos para condenar o homossexualismo.

Também tem espaço para comentários o chat. As notificações no canto direito da página avisam quem acabou de postar ou pedir para te seguir.

A rede social tem sido difundida principalmente entre os cantores gospel, como Aline Barros, Fernanda Brum, Bruna Karla, entre outros. Até o momento são cerca de 7,6 mil páginas de membros, o que calculando por 5 que aparecem em cada uma são cerca de 38 mil usuários.

Membro da Igreja Verbo da Vida, Isabela já prevê que as comunidades evangélicas daqui, em breve, pregarão o Faceglória. "Já nos é aconselhado a usarmos as redes sociais como forma de evangelizar e agora tem uma só para isso. Com o tempo vai ficar mais conhecido sim", acredita.

Para a adolescente as mensagens postadas 'edificam' e fortalecem a fé. "São mensagens que motivam a gente para o dia a dia, você abre de manhã e tem num bom dia, um versículo", resume.

O site ainda está em beta, em fase de testes, para então receber uma versão final. O que significa que erros podem surpreender quem navega com a seguinte mensagem "parece que você pode ter tomado o caminho errado". OI? Penso eu do outro lado... O aviso de erro já me parece um sermão.

O "curtir" no Faceglória foi substituído pelo "amém".
O "curtir" no Faceglória foi substituído pelo "amém".
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário