ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 26º

Diversão

Sem local para shows, Acrissul decide na 2ª feira se realiza Expogrande

Aline dos Santos e Wendell Reis | 02/02/2012 19:55

Com a Lei do Silêncio, aprovada no ano passado, foi proibida a realização de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho

Festa já é anunciada em outdoors pela cidade. (Foto: Marlon Ganassin)
Festa já é anunciada em outdoors pela cidade. (Foto: Marlon Ganassin)

A realização da Expogrande será decidida em reunião entre a direção da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) na próxima segunda-feira. “Hoje, não tem Expogrande”, afirma o presidente da associação, Francisco Maia.

Com a Lei do Silêncio, aprovada no ano passado, foi proibida a realização de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande. Em 2011, um acordo com o MPE (Ministério Público Estadual) definiu critérios para a realização dos shows, como o horário de término às 23h.

Agora, a Acrissul tenta manter as apresentações. A Expogrande já tem até data – a feira será realizada entre 12 e 22 de abril – e é divulgada em propaganda.

Francisco Maia afirma que entregou em agosto o pedido de licenciamento ambiental. “Até agora não tive resposta. Quem tem que resolver isso é a prefeitura e o Ministério Público. Esse show que aconteceu no Jockey Club tem licença? Não tem. Ou será que eles não gostam mesmo é de música sertaneja”, questiona.

A favor da feira agropecuária, ele alega que Expogrande movimenta R$ 130 milhões. “Essa licença ambiental é a mesma coisa que ter um reservatório que atende 1 milhão de pessoas e jogar a água fora porque caiu um mosquito”, compara.

Segundo Maia, a Acrissul fez contato com uma empresa de grande porte, que poderia realizar o show com menor barulho, mas que a contratação depende que a realização da festa seja confirmada.

Nesta quinta-feira, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) afirmou que a prefeitura tem interesse na questão. “Todo mundo acha que tudo é culpa do prefeito, mas não tenho nada a ver com isso. Não tem ninguém mais interessado em resolver o problema do que a prefeitura de Campo Grande, mas tem um TAC [Termo de Ajustamento de Conduta] entre a Acrissul e o MPE”, salienta.

Em nota, o Ministério Público informou que não pode ter mais shows no Parque de Exposições.

Nos siga no Google Notícias