ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 31º

Diversão

Sem local para shows, Acrissul decide na 2ª feira se realiza Expogrande

Por Aline dos Santos e Wendell Reis | 02/02/2012 19:55

Com a Lei do Silêncio, aprovada no ano passado, foi proibida a realização de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho

Festa já é anunciada em outdoors pela cidade. (Foto: Marlon Ganassin)
Festa já é anunciada em outdoors pela cidade. (Foto: Marlon Ganassin)

A realização da Expogrande será decidida em reunião entre a direção da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) na próxima segunda-feira. “Hoje, não tem Expogrande”, afirma o presidente da associação, Francisco Maia.

Com a Lei do Silêncio, aprovada no ano passado, foi proibida a realização de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande. Em 2011, um acordo com o MPE (Ministério Público Estadual) definiu critérios para a realização dos shows, como o horário de término às 23h.

Agora, a Acrissul tenta manter as apresentações. A Expogrande já tem até data – a feira será realizada entre 12 e 22 de abril – e é divulgada em propaganda.

Francisco Maia afirma que entregou em agosto o pedido de licenciamento ambiental. “Até agora não tive resposta. Quem tem que resolver isso é a prefeitura e o Ministério Público. Esse show que aconteceu no Jockey Club tem licença? Não tem. Ou será que eles não gostam mesmo é de música sertaneja”, questiona.

A favor da feira agropecuária, ele alega que Expogrande movimenta R$ 130 milhões. “Essa licença ambiental é a mesma coisa que ter um reservatório que atende 1 milhão de pessoas e jogar a água fora porque caiu um mosquito”, compara.

Segundo Maia, a Acrissul fez contato com uma empresa de grande porte, que poderia realizar o show com menor barulho, mas que a contratação depende que a realização da festa seja confirmada.

Nesta quinta-feira, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) afirmou que a prefeitura tem interesse na questão. “Todo mundo acha que tudo é culpa do prefeito, mas não tenho nada a ver com isso. Não tem ninguém mais interessado em resolver o problema do que a prefeitura de Campo Grande, mas tem um TAC [Termo de Ajustamento de Conduta] entre a Acrissul e o MPE”, salienta.

Em nota, o Ministério Público informou que não pode ter mais shows no Parque de Exposições.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário