A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2019

10/01/2019 08:55

A aventura de Dori e Adriana por 12 mil quilômetros em duas rodas

Silvio Andrade, do site Lugares
Dori e Adriana ao lado da estátua em homenagem ao Chaves do seriado da TV. (Fotos: acervo pessoal)Dori e Adriana ao lado da estátua em homenagem ao Chaves do seriado da TV. (Fotos: acervo pessoal)

Pegar a estrada conduzindo uma moto sempre foi uma paixão do engenheiro civil Dorianey Peres, o Dori, 49 anos. Muito mais que o futebol, com o qual tinha alguma intimidade. Viajar sobre duas rodas, para ele, é mais do que a adrenalina do vento batendo no rosto, a sensação de liberdade e da emoção. Uma aventura sem precedentes, novas descobertas, lugares fantásticos, ao lado da esposa, Adriana, 48.

Um estilo de vida perpetuado por grandes documentários inspirados nesses aventureiros – o primeiro deles, Sem Destino (“Easy River”, 1969), um ícone na história do cinema, que teve como protagonistas os atores Peter Fonda, Dennis Hopper e Jack Nicholson e como trilha sonora “Born to be Wild”, um clássico da banda norte-americana Steppenwolf.

Sem a rebeldia daqueles jovens e suas Harley Davidson reluzentes, Dori hoje pilota uma Big Trail (BMW), R 1200 GS Adventure, com a qual está a caminho de Ushuaia, no extremo Sul da Argentina. A viagem com Adriana, iniciada no último sábado (5/1), tem uma celebração especial: os 25 anos de casamento. Ele é natural de Natal (RN), ela, Ladário (MS). Da união, nasceram Daniel, 21, e Anderson, 20, os quais trabalham com o pai na empresa de construção da família, em Campo Grande.

Os motociclistas caíram na estrada há pelo menos cinco anos, com os filhos já adolescentes, e as viagens começaram pelos confins do Brasil – Capitólio, Furnas (MG), Serra Rastro da Serpente (SP), Serra da Graciosa (PR), Serra do Rio do Rastro, Urubici, Morro da Igreja, Pedra Furada e Serra do Corvo (SC). Também incluíram na lista de lugares fora de série a travessia extasiante do Pantanal pela BR-262, até Corumbá, onde moraram.

Selfie com o Vulcão Licancabur, no Atacama.Selfie com o Vulcão Licancabur, no Atacama.

No ano passado, percorreram a América do Sul, ao lado de um casal amigo, passando pelo Paraguai, Argentina (Cordilheira dos Andes), Chile (Deserto do Atacama), Peru (Machu Picchu) e Bolívia (Salar de Uyuni e Águas Calientes, em Roboré). Agora, eles estão sozinhos, rumo à Ushuaia, numa viagem de 28 dias e 12 mil km. A convite de Lugares, Dori e Adriana vão narrar a nova aventura, por capítulos, em postagens no site. Acompanhem:

Diário de Bordo I

Queridos amigos, após um bom tempo sem notícias, retorno para informar que a nossa nova expedição se aproxima.
Há um ano realizamos nossa expedição à Machu Picchu (Peru), passando pelo Atacama (Chile), que foi exitosa e maravilhosa junto a companhia agradável e parceira dos nossos queridos amigos Parayba e Jane, casal fantástico, o qual somos eternamente gratos!!!
Agora, nossa meta será chegar ao Ushuaia, extremo Sul da Argentina, passando por Paraguai e Chile.
Iremos desta vez, eu e a minha fiel garupa, companheira e esposa, Adriana Peres, sob a vigilância divina de Deus.
Localizada no arquipélago da Terra do Fogo, repartido entre Chile e Argentina, Ushuaia se autoproclama a cidade mais austral do planeta (embora o povoado de Puerto Williams, do lado chileno, fique um tantinho mais ao Sul).
Serão aproximadamente 12.000 km, 28 dias, calor, frio intenso, fortes ventos, paisagens exuberantes, Patagônia, geleiras... ufa!!!

O resto...? vamos reportando por aqui (Instagram) através do nosso "diário de bordo". Nos acompanhem na garupa dessa trip!

Nossa saída será dia 05/01, sábado. A partir de então faremos o possível para manter as notícias e as imagens em dia. Então... até lá!

Abraços fraternos e muita paz!

Chegada em Assunção, Paraguai.Chegada em Assunção, Paraguai.

Hotel charmoso

A nossa viajem começa assim, tempo fechado, meio carrancudo (rs rs), mas é assim a vida do mototurista... fazer parte da natureza.

Hoje (5/1) foram 820km de estrada. As rutas paraguaias em excelente estado de conservação (ruta 3 e ruta 5). Muita fiscalização da Policia Caminera, porém sem nenhum contratempo, e em todas as passagens fomos cumprimentados gentilmente.

Saímos às 6h de Campo Grande, pontualmente, paramos em Sidrolândia para tomar aquele café, e então começou a natureza a apresentar sua beleza... a chuva começou. E assim seguiu de forma intensa... muita chuva mesmo, forte e com muito vento, seguindo assim até um pouco antes de Ponta Porã, onde o tempo ficou apenas nublado.

Fizemos os trâmites de fronteira, o câmbio de moeda, e sem demora partimos para Assunção, pois já havíamos atrasado demais a viajem em função da chuva e dos trâmites de fronteira.

Bem, na capital paraguaia, o hotel tem um charme de antiguidade e cultura alemã, com o conforto adequado ao cansaço do primeiro dia de viajem.

Amanhã (dia 7) partiremos para Vera - Argentina, serão mais 650 km.
Que Deus nos acompanhe!

Abraços e até amanhã com o novo diário de bordo.

Muita chuva

Olá, amigos!

Hoje (6/1) o dia iniciou como ontem... muita chuva em Assunção. E olha que a tempos não víamos tanta água! rsrs

Mapa da nova aventura, por 12 mil km.Mapa da nova aventura, por 12 mil km.

Após um bom café da manhã partimos rumo a Argentina, ainda sob forte chuva, para Vera, Santa Fé, onde descansaremos.

Fizemos os trâmites de fronteira, que estava bem tranquila, com pouco movimento... Bem rápido o processo. Daí em diante... mais, muito mais chuva. Seguimos em torno 300 km sob intensa chuva, até que a coisa começa a melhorar e a água deu uma trégua. Só então minha fiel garupatroa começa a registrar os momentos de estrada.

Por fim, chegamos ao hotel para o necessário descanso. Um local agradável, já despontando o sol em sua plena graça e vigor.

Bem vindo sol!!!

Amanhã (7/1) nossa meta é chegar a Córdoba, e em seguida Mendoza.

Forte abraço aos amigos, e até o próximo

Muita Paz!

Chaves: tietagem

Saímos de Vera - Argentina pela manhã, deixando o hotel Monte Regina bem satisfeitos com o atendimento e a localidade que é a beira da estrada, km 720 da Ruta 11. Assim, partimos para Córdoba!

Fato peculiar nos acontece pouco tempo depois, em nossa parada de abastecimento, um 'serzinho canino' com modos e trejeitos um tanto diferente... Pensamos, é amigo ou quer morder os motociclistas 'apetitosos' De forma até sorrateira se aproximava lentamente, cabeça baixa, olha para nós, olha para baixo, olha para o lado... Repete continuamente os gestos, até que... percebemos ele olhava uma pedrinha que trouxe na boca e deixava ao nosso pé. Ufa, que alívio! Adivinhem... Ele queria brincar. Foi muito bacana ver aquela atitude do 'serzinho canino', então brincamos por um tempo com ele (fizemos um breve vídeo de registro). Resultado: atraso para saída!

Dori em frente a Catedral de Vera, Argentina.Dori em frente a Catedral de Vera, Argentina.

Já no meio do trajeto, numa pequena localidade chamada Santiago Temple encontramos outra figura peculiar, e famosa. Não teve jeito, paramos para 'tietar'. Era o Chaves sentando no banco da Praça. Enfim, atrasados pelos personagens do dia, chegamos em Córdoba - Argentina, após 603 km de muito sol e calor.

A arquitetura local é muita bonita, em alguns pontos com forte influência espanhola. Uma linda catedral, visitada pelo Papa João Paulo II, em 1987, que rendeu placa em mármore branco talhado.

Uma bela Praça frequentada por muitos grupos familiares, pais, mães e muitas crianças... E, é claro, como em toda praça genuína por aqui, uma enorme estátua com alguma personalidade sobre um cavalo.

Bom, agora descansar e amanhã (8/1) Mendoza, Argentina.

lugares.eco.br

Campo Grande News - Lista Vip WhatsApp
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.