A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

24/10/2013 13:47

“Foi à radicalização de vereadores evangélicos que criou isso”, analisa Pedra

Kleber Clajus e Cleber Gellio
Vereador mantém convicções e só volta ao tema se for provocado (Foto: Cleber Gellio)Vereador mantém convicções e só volta ao tema se for provocado (Foto: Cleber Gellio)

Após confusão hoje por conta de uma moção de congratulação ao douradense Carlos Gabriel, que venceu o “Mister Brasil Diversidade”, o vereador Paulo Pedra (PDT) confirma que o caso foi resultado de “preconceito” existente entre vereadores na Câmara Municipal, mas já é “matéria vencida”.

“Foi o preconceito e radicalização de vereadores evangélicos que criou isso. Ao dizerem que na ‘na minha família se Deus quiser não terá um homossexual’ isso é homofobia”, disse Pedra em referência à fala do vereador Elizeu Dionizio (SDD). “Posso não concordar, mas tenho que respeitar”.

Sobre a possibilidade de abertura de um processo por falta de decoro pelo vereador Flávio César (PT do B), que presidiu a sessão de hoje, o parlamentar disparou que vai “manter o que disse. A fala de um vereador é inviolável”. Por outro lado, admite que se “exaltou demais”.

“O Flávio não entende nada de lei a partir do momento em que agride o meu mandato. Presidente tem que ser magistrado, independente de ser católico, evangélico, espírita ou ateu. É preciso atuar de maneira imparcial”, analisou Pedra.

Após conversa, a portas fechadas com os vereadores Flávio e Alceu Bueno (PSL), o pededista mantém a mesma convicção de que “se não tem, tem a possibilidade das famílias terem um homossexual”.

Já Flávio garantiu que deve ocorrer uma reunião com o presidente da Câmara, Mario Cesar (PMDB), e que Pedra reconheceu que os vereadores precisam se respeitar e evitar excessos.

“A chance de voltar a esse tema só se for provocado. Para mim, é matéria vencida”, concluiu Pedra.



Bruno Dias disse tudo e tem mais: Moção de Congratulação teria que dar aos trabalhadores que ganham e vivem do salário "RIDÍCULO" mínimo. Parabéns aos vereadores que se manifestaram contra.
 
Marcia Maria em 24/10/2013 19:10:33
Ta doido de Pedra.
Agora ta dizendo que toda familia tem o mesmo problema que a familia dele deve ter?
Xo Homofilia!
 
Roger Luiz em 24/10/2013 15:50:20
A fala de um vereador é inviolável? de onde ele tirou isso? pode falar qualquer asneira e ficar por isso mesmo...vencida esta a paciência de quem votou neste senhor Paulo pedra, que até agora esta perdido na câmara causando e tumultuando sem necessidade tomara que fique evidenciado a falta de decoro pois precisa de limites este Senhor.
 
aureliano sousa em 24/10/2013 15:06:43
A matéria informa que o camarada que ganhou essa parada ai é "DOURADENSE", sendo assim o que Câmara de Vereadores de CAMPO GRANDE tem que congratular alguém que nem é da cidade. Trabalhem por Campo Grande, não por vontades alheias.
 
Bruno Dias em 24/10/2013 14:23:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions