A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

15/06/2011 12:15

Arroyo tem sete votos e número de “brancos” causa polêmica na Assembleia

Fabiano Arruda e Ítalo Milhomem

Republicano recebeu 15 votos em branco

Arroyo conversa com o presidente da Casa, Jerson Domingos, momentos antes da votação. (Foto: Divulgação/AL)Arroyo conversa com o presidente da Casa, Jerson Domingos, momentos antes da votação. (Foto: Divulgação/AL)

O deputado Antônio Carlos Arroyo (PR) recebeu sete votos favoráveis, dois contrários e 15 em branco na disputa para conselheiro do TCE/MS (Tribunal de Contas do Estado) realizada neste momento na Assembleia Legislativa.

O nome do parlamentar foi submetido à apreciação antes que sua rival na votação, a senadora Marisa Serrano (PSDB), pois teve candidatura registrada primeiro.

Entre os votos em branco está o do próprio Arroyo, impedido de votar.

O número de votos em branco recebidos pelo republicano gerou polêmica nesta manhã. Depois da votação, o deputado Marquinhos Trad (PMDB) levantou a questão dos brancos serem computados como válidos, o que garantiria a eleição por maioria de Arroyo.

Segundo o peemedebista, o regimento da Assembleia é omisso neste ponto, portanto vale o que diz a legislação eleitoral.

Já o presidente da Casa, Jerson Domingos (PMDB), lembrou que é necessária a metade da participação dos parlamentares na votação, para que seja garantida a maioria, no caso de tantos votos em branco.

Marquinhos pediu para que sua observação constasse em ata e antecipou que isso pode dar margem a contestação futura, caso Arroyo realmente seja derrotado por Marisa Serrano.

O inciso 2º do artigo 217 do regimento interno da Assembleia Legislativa tem a seguinte redação: “Os votos em branco só serão computados para efeito de quorum”.

No caso de hoje, a maioria da votação para Arroyo foi de votos em branco.



essa e nossa assembleia legislativa dão a corda depois enforca, so para satisfazer o ego de alguns
 
paulo henrique em 15/06/2011 12:54:35
A maioria dos nobres deputados estaduais estão mostrando aos sulmatogrossenses quem é que manda no estado, como diz um deles " o governador mandou votar na Mariza e eu vou voltar". Depois vão querer dizer que há independencia dos poderes. Eles estão dando validade aquele velho ditado popular - manda quem pode e obedece quem tem juizo. O deputado Arroyo está recebendo do governador o pagamento pela emenda que tirou a autonomia financeira da nossa UEMS.
 
Paulo Neres Carvalho em 15/06/2011 12:54:00
Vamos pensar um pouco, se os votos em brancos venceu o nome do deputado, significa que ele foi reprovado, exemplo: para sim, ele fica e para não, ele não fica.
Marisa é a candidata, outra coisa, substituir uma mulher por outra mulher seria mais justo, e a nossa senadora vem contribuindo muito para nosso estado, trazendo investimento para o nosso governador.
 
elidio vicente pereira filho em 15/06/2011 12:41:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions