A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

28/09/2016 10:21

Atípico, número alto de indecisos é reflexo de crise política, diz cientista

Pesquisa feita pela Tendência mostra 2° turno na Capital

Leonardo Rocha
Pesquisa da Tendência mostra segundo turno em Campo Grande e alto índice de indecisos (Foto: Arquivo)Pesquisa da Tendência mostra segundo turno em Campo Grande e alto índice de indecisos (Foto: Arquivo)

Cenário atípico da cidade, o grande número de eleitores indecisos é detalhe que chama atenção na pesquisa feita pela Tendência, encomendada pelo Campo Grande News e divulgada nesta quarta-feira (28). Reflexo de uma crise política que, se na Capital foi intensa nos últimos anos, abrange também todo o Brasil.

O cientista político e sociólogo Paulo Cabral avaliou o resultado da pesquisa. Além de apontar para a ocorrência de segundo turno na eleição da Capital, o levantamento também revela alto índice de indecisos, que chega a 25,2% na consulta estimulada.

Para Cabral, o índice de 25,2% de indecisos na estimulada, que chega a 42,2% na pesquisa espontânea, mostra uma mudança no perfil do eleitor de Campo Grande, que antes tinha como característica uma definição rápida dos seus candidatos, tendo uma margem pequena para definição na reta final.

"O número alto de indecisos não é uma característica usual de Campo Grande, não é típico da cidade, isto é o resultado da conjuntura política tanto da cidade, como de todo País, que mostra uma descrença das pessoas em relação a eleição, resultado de uma crise política que todos presenciam nos últimos anos", explicou.

Além dos inúmeros casos de corrupção desvendados pela Polícia Federal, ainda tem uma característica própria em Campo Grande, que teve uma sequência de troca de prefeitos nos últimos anos, que começou com a cassação de Alcides Bernal (PP) em março de 2013, com a entrada de Gilmar Olarte, assim como o retorno do prefeito, em agosto do ano passado.

Pesquisa - O levantamento feito pela Tendência mostrou Marquinhos Trad (PSD) com 32% das intenções de voto, seguido por Rose Modesto (PSDB) com 21,5% e Alcides Bernal (PP) pontuando 13,4%. Na quarta colocação aparece Coronel David (PSC) com 2,3% e depois Marcelo Bluma (PV) com 1,5%.

Neste cenário eleitoral mostra que a eleição em Campo Grande vai ser decidida no segundo turno. A pesquisa ouviu 1.005 pessoas entre os dias 23 e 27 de setembro. A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um intervalo de confiança de 95%.

O levantamento está registrado no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) sob protocolo número MS-06768/2016.

PMDB retoma processo para mudar nome e voltar a se chamar MDB
A direção do PMDB retomou um processo interno para mudar o nome da legenda para MDB (Movimento Democrático Brasileiro), abandonando a denominação de ...
Reinaldo diz que corte de gastos do Governo Federal é preocupante
O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), admitiu, nesta quarta-feira, 16, preocupação sobre os reflexos do pacote de medidas do ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions