A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

30/12/2013 12:44

Bernal apresenta novos secretários e quer ampliar base para não ser cassado

Leonardo Rocha
Bernal apresenta novos secretários e quer formar governo de coalizão (Foto: Pedro Peralta)Bernal apresenta novos secretários e quer formar governo de coalizão (Foto: Pedro Peralta)

O prefeito Alcides Bernal (PP) apresentou hoje na esplanada ferroviária os três novos secretários que foram colocados na administração para ampliar sua base aliada e assim evitar a cassação de seu mandato na Câmara Municipal.

Assumiu a IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), Lilian Maksoud, indicada pelos vereadores Paulo Siufi (PMDB) e Jamal Salém (PR), Dirceu Peters foi escolhido para conduzir a Emha (Empresa Municipal de Habitação), com indicação do vereador Paulo Pedra (PDT) e Jean Saliba ficará à frente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), escolha do vereador Edson Shimabukuro (PTB).

A solenidade teve a participação da bancada federal do PT, dos vereadores da base do Bernal, além dos possíveis aliados Paulo Pedra, Jamal e Shimabukuro. O vereador Delei Pinheiro (PSD) também esteve no evento, mas garantiu que foi em convite do novo dirigente da Emha.

Bernal admitiu que estava “construindo um novo momento” e que pretendia começar a fazer um governo de coalizão. “Estes novos partidos chegam à base para ocupar espaço e votar a favor da nossa administração, contra o golpe político”.

O prefeito voltou a lembrar que por “pouco” não perdeu o mandato e que está de “braços abertos” a todos os partidos. “Sejam todos bem vindos, tenho que agradecer ao senador Delcídio (Amaral) pelo apoio e por toda base e bancada do PT”, apontou.

Bernal aproveitou e convidou de forma oficial o vereador Delei Pinheiro, assim como seus colegas do PSD, Chiquinho Telles e Coringa para também integrar o grupo aliado. “O PSD poderá vir conosco, assim como o PMDB se quiser ajudar".

O deputado Vander Loubet (PT) definiu o evento como “divisor de águas” na administração e lembrou que não se governa sem o parlamento e estabilidade política. Já Antônio Carlos Biffi (PT) ponderou que todos os governos abrem espaços aos partidos para dar continuidade aos projetos. “Na política se divide para somar”, completou.

Novos Aliados – Pedra ressaltou que agora Bernal começa a ter um governo de “coalizão” e ainda adiantou que não vão cassar o prefeito sem provas. “Não respondam aos vereadores raivosos, vamos tentar construir a base”.

Shimabukuro confirmou que o PTB vai ajudar a administração e que vai “marchar” com Bernal, já Jamal destacou o aumento da base e espera que com esta “abertura”, o prefeito consiga trazer outros vereadores. “Campo Grande parou um ano, pode contar comigo para retomarmos os projetos da cidade”.

Secretários – Lilian que é ginecologista e obstetra explicou que já teve uma conversa com o secretário de administração, Ricardo Ballock e que sua prioridade será a valorização do servidor aposentado e se colocar a par dos detalhes da pasta.

Já o engenheiro Jean Saliba, ex-presidente do Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) e atual diretor-geral da Mutua (Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea) ressaltou que vai identificar os principais problemas no trânsito da Capital para atacar os pontos frágeis. “Temos que estabelecer as metas e os novos projetos, sabemos que precisamos melhorar a educação dos motoristas”.

O arquiteto e urbanista Dirceu Peters, que era presidente da seccional sul-mato-grossense da IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) e já foi secretário da Semadur na administração do ex-prefeito Lúdio Coelho, apontou que é preciso diminuir o déficit habitacional em Campo Grande e que a parceria com o governo estadual e federal serão importantes.

“Sabemos da extensão do Programa Minha Casa, Minha Vida e outros investimentos, vamos trabalhar em conjunto, em breve já terei todas as informações disponíveis da pasta”.




Prefeito comprando e vereadores se vendendo. Estes nomes não foram escolhidos por serem os melhores para Campo Grande, mas para o prefeito tentar salvar o próprio mandato. Um nojo, desse prefeito e desses vereadores que se venderam. E o pior é que isso é feito de forma aberta, como se fosse moral. Isso, pra mim, é uma espécie de mensalão. Meu voto ele não verão.
 
RODRIGO FERREIRA em 31/12/2013 12:16:01
na politica gira o tabuleiro e as pedras do nosso caminho são sempre os mesmos, apenas mudam de lugar, esse jogo só ganha quem entrar no ESQUEMA. agora para nossos vereadores o bernal começou a ficar bom.
 
ari ferreira de souza em 30/12/2013 15:50:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions