A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

27/12/2013 15:21

Bernal e desembargador que julgou a seu favor já até fizeram oração juntos

Josemil Arruda
Magistrado João Batista, Arroyo, Bernal, prefeito Renato Rosa e De La Puente (Foto: Facebook)Magistrado João Batista, Arroyo, Bernal, prefeito Renato Rosa e De La Puente (Foto: Facebook)

Além de ter nomeado o filho do desembargador João Batista da Costa Marques, vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJMS), para cargo na Fundação Municipal de Cultura (Fundac), o prefeito Alcides Bernal (PP) tem outras afinidades com o magistrado, já tendo participado de eventos políticos juntos e até mesmo na fé religiosa, ao participaram de uma oração.

Durante evento junto com o prefeito de Bela Vista, Renato Rosa, Bernal e João Batista Costa Marques estavam solidariamente presentes no momento da oração, realizada pelo apresentador De La Puente, conforme revela o jornalista Antônio João Hugo Rodrigues, em foto publicada hoje em sua página na Facebook (www.facebook.com.br/antoniojoão). Também participou do evento o deputado estadual Antônio Carlos Arroyo (PR).

Na manhã desta sexta-feira, o presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Mario Cesar (PMDB), denunciou a “suspeição” do vice-presidente do Tribunal de Justiça por ter julgado recursos do prefeito Alcides Bernal (PP), em razão deste ter nomeado o arquiteto e urbanista Rubens Moraes da Costa Marques, filho do magistrado, para cargo na Fundação Municipal de Cultura.

Em entrevista coletiva à imprensa, Mario Cesar afirmou que vai levar essa suspeita ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Tribunal de Justiça do Estado e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS). Está última, aliás, já se manifestou contra a “guerra de liminares” e também pretender propor representação ao CNJ.

Ontem, João Batista da Costa Marques, atual vice-presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, livrou Bernal do processo de cassação duas vezes. De manhã, ele concedeu liminar para suspender o julgamento na Câmara Municipal. À tarde, após a desembargadora Tânia Garcia ter revogado a decisão porque contrariava regimento do Poder Judiciário, João Batista interviu de novo e livrou, pela segunda vez no dia, o prefeito do risco de ser cassado pelo legislativo municipal. 

 



Como acreditar na justiça, né. Um absurdo. O cara faz o que quer, é arrogante, prepotente, e não acontece nada, se cerca de pessoas "poderosas", por isso tanta arrogância. Espero que esse prefeitinho seja CASSADO, Campo Grande está cada dia sem brilho, uma pena.
 
regina silva em 27/12/2013 16:54:21
Quem deveria ser investigada, é essa Sra. desembargadora Tânia Garcia.

Muito estranho ela ignorar o veredicto de outro desembargador.

Muito estranho.....
 
Marcos Dambrosio em 27/12/2013 16:35:18
Caramba gente.....até orações já fizeram juntos....é realmente a coisa é séria...se estivessem em uma pescaria no Rio Paraguay não levantariam tantas suspeitas......mas juntos fazendo uma oração......ainda bem que o AJHR como ZELOSO guardião do nosso estado guardou o arquivo em que mostra o momento em que faziam a oração....é a prova de que faziam oração juntos, kkkkkkkkkkk..........kkkkkkkk !!!
 
Alberto Bento - Dourados em 27/12/2013 16:29:05
puxa. que coincidencia. esse mundo eh pequeno mesmo.
 
francisco guimaraes em 27/12/2013 15:59:36
Preciso pedir desculpas sobre o meu comentário ontem, quando dizia que os vereadores teriam de ser substituídos por juízes. Quero de volta os militares, tenho saudade da ditadura e de suas nomeações, muito mais prático.
 
Daniel Dorli em 27/12/2013 15:44:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions