A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/12/2013 13:22

Após “guerra de liminares”, Câmara deve esperar fim de recesso judiciário

Kleber Clajus
Se Câmara conseguir nova liminar, Bernal e vereadores devem ser notificados com 24 horas de antecedência (Foto: Cleber Gellio)Se Câmara conseguir nova liminar, Bernal e vereadores devem ser notificados com 24 horas de antecedência (Foto: Cleber Gellio)

A retomada do processo de julgamento do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), deve ocorrer após o recesso do judiciário, que finda no dia 5 de janeiro. Na oportunidade, a Câmara Municipal pretende entrar com novo recurso no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), para que o colegiado possa garantir a continuidade dos trabalhos.

De acordo com o presidente da Casa de Leis, vereador Mario Cesar (PMDB), a procuradoria jurídica está reunida, desde ontem (26), para determinar que medidas serão tomadas pela continuidade da sessão de julgamento, interrompida em meio a “uma batalha de liminares”.

“Se a assessoria jurídica entender que a gente possa entrar com nova medida, vamos cumprir o rito de comunicar o denunciado e os vereadores, com mínimo de 24h, para nova sessão de julgamento”, afirma Mario.

O procurador jurídico da Câmara, Fernando Pineis, explica que como as decisões anteriores foram monocráticas, o ideal é aguardar o retorno do colegiado do TJMS para uma decisão que assegure a continuidade do processo sem novas interrupções. Só ontem, foram três liminares, duas suspendo e uma retornando com o processo de votação. Todas as decisões foram tomadas por desembargadores de plantão.

Caso a sessão de julgamento retorne, Mario assegura que a leitura do parecer da Comissão Processante terá continuidade a partir da página 97, das 104 que compõe o relatório final. Em seguida, ocorre à fala de 15 minutos de cada vereador, a defesa do prefeito de 2 horas e votação sobre arquivamento da denúncia de “fabricação de emergências” ou cassação do mandato de Bernal.

Diretoria da OAB/MS cobra Julio César e quer CNJ no caso “guerra de liminares”
A diretoria da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul) cobrou publicamente o presidente da entidade, Julio César Souz...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


Isso é pura falta de consciência. Deixem o Bernal trabalhar. Se ele foi escolhido pelo povo isso é mérito dele. Por que cassar agora que ele já começou a fazer muitas coisas por Campo Grande. Isso tudo é dor de cotovelo, o vice ta querendo o cargo do Bernal. Se tivesse alguma coisa, Bernal já teria sido cassado e respondido pelo que fez antes e não agora, igual aos prefeitos de outras cidades. E querendo ou não o pmdb não aceitou a derrota nas eleições e adoram meter o pau. Respeitem o voto do povo, pois a voz maior é a do povo. E os vereadores parem de putaria e vão trabalhar, fazer mais por Campo Grande e fazer valer a pena e deixar o povo falar: o vereador fulano fez isso e aquilo por Campo Grande.
 
LILLYANE DE SOUZA CARVALHO em 28/12/2013 00:57:25
ENT]ÃO É ISSO VALDIR ,1COVARDE CONTRA 23 VALENTES?
 
clodoaldo lemes de souza em 27/12/2013 14:59:10
Tenho certeza que até o fim do recesso judiciário, o Bernal vai ficar fazendo jogo sujo com os vereadores, tentando conseguir alguns votos favoráveis, para tentar anular a secção de cassação do seu mandato.
Mas, acredito que fora o Shimabukuru, e os já conhecidos puxa sacos, poucos vereadores estão interessados na conversa do Bernal, e querem vê-lo com a cabeça na guilhotina.
 
VALDIR VILLA NOVA em 27/12/2013 14:12:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions